×
Publicado em
9 de out. de 2009
Tempo de leitura
4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

WGSN analisa projeções para primavera/verão 2010

Publicado em
9 de out. de 2009

Nova Iorque, Londres e Milão estiveram debaixo da mira da Worth Global Style Network (WGSN) nas últimas semanas, como palcos das mais recentes tendências da moda para a Primavera/Verão 2010. Esta empresa líder mundial em investigação, análise e previsão de tendências de moda revela-lhe já o que deve saltar da passarela para o seu armário da próxima estação quente.

WGSN
Basso e Brooke primavera/verão 2010 Londres Foto: Pixel Formula

Do Novo Mundo ao Velho Continente, a WGSN não deixou escapar nada, dando já algumas pistas do que poderá encontrar na ModaLisboa, que começou hoje (ver Last but not least), e no Portugal Fashion, que decorrerá de 16 a 18 de Outubro na Alfândega do Porto.

Destaca-se, segundo a WGSN, das mais recentes tendências apresentadas na semana de Moda de Nova Iorque, uma forte inclinação por parte dos designers em influenciar as suas colecções pela actual recessão económica, denotando-se alguma preocupação em manter peças que sejam “valores seguros”. Há, todavia, uma abordagem mais jovem por parte de alguns designers, como por exemplo Alexander Wang. Os desfiles da Big Apple foram caracterizados por uma abordagem mais casual (Ralph Lauren) e uma abordagem bastante juvenil que acrescentou o entusiasmo que era necessário às colecções.

Os looks estratificados, ou por camadas, continuam a ser a chave para um estilo casual, enquanto que as novas leggings, que lembram verdadeiros calções de ciclismo, se tornaram um must-have da moda, a usar com calções, saias, t-shirts e vestidos. Os babydolls estão também cada vez mais “in”, especialmente com vestidos bastante volumosos ou assimétricos, de preferência.

As calças adoptam novas silhuetas, com as calças harém a marcar novamente posição na próxima estação quente. E alguns tecidos, que habitualmente identificamos como típicos de fatos de treino, revelam agora uma nova sofisticação.

Nova Iorque foi igualmente invadida por uma panóplia de amarelos quentes, “tons blush” que dão um ar sofisticado e que farão a passagem dos pretos e cinzentos para as cores mais vivas, o regresso à ganga de diferentes lavagens e efeitos degradé, criando um efeito tom sobre tom no vestuário mais desportivo, casual e nos casacos de Verão. Os cinzentos mesclados do vestuário desportivo assumem-se agora como cor de eleição nos vestidos de cortes acentuados e vanguardistas. O estilo militar que dá mote a este Inverno vai persistir na estação que se segue, em modelos que lembram antigos uniformes, com muitos casacos de bolsos de chapa.

Mas nem só os materiais voltam aos básicos, também as formas começam a simplificar-se. As t-shirts ganham estatuto de vestido, fazendo com que as mulheres não tenham de pensar muito com que peças as conjugar. Para as mais magras, os drapeados trazem alguma dimensão à silhueta, nomeadamente em vestidos com cores contrastantes e mangas assimétricas.

Os detalhes que fazem sobressair a cintura deram também nas vistas na passerelle. Quanto aos tecidos, predominam os padrões às bolas e muitas perfurações.

Na Semana de Moda de Londres destacou-se uma grande influência dos brancos, a chave das próximas tendências parece sacrificar as cores em prol de um ar fresco e limpo. As paletas de cores “frágeis” em tons pastéis, aplicadas em vestidos muito curtos, contrastam com cores que lembram quadros impressionistas.

As colecções londrinas apostaram ainda na mistura de padrões e nas riscas arrojadas, usando por exemplo os padrões em zig-zag. Os designers inspiraram-se também na vida subaquática, com formas de corais ou conchas, criando muitas estruturas 3D.

Nos tecidos continuam a sobressair os metalizados e os drapeados. A anca tem um destaque muito feminino, com vestidos de volume e calções em forma de balão. Já os casacos apresentam uma influência masculina, com uma aposta forte no bastante curto.

A Semana de Moda de Milão confirma o poder do branco e dos tons pastéis, sem esquecer os amarelos quentes que marcaram na passerelle de Nova Iorque. Os estilistas presentes na capital da moda italiana foram, todavia, mais arrojados em termos de paleta de cores: vermelho, roxo... Em termos de inovação, destacaram-se os cortes só com uma manga.

Em geral, os corpetes ou tops que incorporam soutiens, bem como os babydolls estão a marcar terreno na moda da próxima estação quente. O estilo militar, os padrões arrojados assim como a sua mistura, os tecidos leves e as perfurações vão criar tendência nas ruas de todo o mundo. A silhueta feminina tem o papel principal, através de cortes que realçam a anca, como os calções em balão, as saias com volume, os vestidos de inspiração 3D e os drapeados. Na paleta das cores predomina o contraste entre os brancos e pastéis e as cores quentes e impressionistas.

Fonte: Portugal Têxtil

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.