×
Publicado em
30 de jun. de 2016
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

VF se separa, com perda, da 7 For All Mankind

Publicado em
30 de jun. de 2016

Quando se trata da VF Corp, os êxitos de marcas, como The North Face, Vans e, mais recentemente, Timberland, são apresentados com frequência. As capacidades de aquisição, integração e de desenvolvimento da gigante americana são então louvadas.

7 For All Mankind passa sob o guarda-chuva israelense. - 7 for all mankind


O anúncio da venda da 7 For All Mankind soa, portanto, mais claramente como constatação de uma falha. O grupo acaba de oficializar a venda do conjunto do seu polo de marcas contemporâneas constituído da marca de denim premium, da Splendid e do prêt-à-porter feminino Ella Moss ao grupo israelense Delta Galil. Com este acordo anunciado de 120 milhões de dólares, a especialista na produção de roupas íntimas (licenças Lacoste, Puma...) amplia aí seu perímetro de ação. O Delta Galil é um grupo ambicioso, que transpôs a barreira de um bilhão de dólares de volume de negócios em 2015.
 
O montante, para as três marcas, está muito distante daquele gasto para sua aquisição. Em 2007, para adquirir a 7 For All Mankind de um fundo e do seu fundador, Peter Koral, que havia lançado a grife em 2000 em Los Angeles, a VF Corp gastou 775 milhões de dólares. Depois de ter assumido parcelas na matriz da Splendid e Ella Moss (Mo Industries) em 2008, o grupo adquiria os dois terços da empresa da qual não era proprietário por 161 milhões de dólares em 2009. Ou seja, investimento total próximo de 1 bilhão de dólares.

A ambição inicial do grupo, já proprietário da Lee e Wrangler, era desenvolver uma rede de lojas e categorias de produtos em âmbito global para 7 For All Mankind e se apoiar no segmento contemporâneo premium com a Splendid e Ella Moss. Mas, a exemplo da quase-totalidade das marcas de jeans premium, a 7 For All Mankind, que contava ainda com cerca de 120 lojas principalmente na América do Norte e Europa, viu minguar o apetite dos consumidores.
 
Em 2010, o polo, que compreendia também nesta época a marca John Varvatos (vendida em 2012 ao Lion Capital), realizava um volume de negócios de 443 milhões de dólares. Em 2015, o volume de negócios era de 344 milhões de dólares. Mas foi sobretudo a rentabilidade do segmento que capitulou, caindo de cerca de 39 milhões em 2013 para menos de 6 milhões no ano passado.
 
O grupo havia revisto, no quarto trimestre de 2015, para baixo o valor das três marcas. E anunciou sua vontade de "ter um olhar proativo na composição da sua carteira". O grupo vai assim se focalizar em seus segmentos Outdoor & Action Sports, Jeanswear e Imagewear, ao passo que a Nautica se encontra só no segmento Sportswear.
 
A transação com a Delta Galil deve ser finalizada na próxima primavera (outono no Hemisfério Norte).

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Tags :
Moda
Denim