×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
29 de jun. de 2021
Tempo de leitura
6 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Últimas de Paris: GmbH, Phipps e Dunhill

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
29 de jun. de 2021

Poucas semanas de moda são tão internacionais como a de Paris, especialmente durante a pandemia. Tanto os estilistas como as marcas estão agora determinados a entrar na agenda oficial de desfiles.


Look da Dunhill para a primavera-verão 2022 - DR


Analisamos assim três fortes declarações de moda, qu se distinguiram na PFW: a de um design em rápida ascensão baseado em Berlim, GmbH; a de uma marca clássica de Londres que desfruta de um renascimento, Dunhill; e a de um designer nascido em São Francisco (EUA), que fez de Paris a sua casa, Spencer Phipps.
 

GmbH: o politicamente correto

GmbH SPRING 2022 'WHITE NOISE'


O espetáculo e a coleção em vídeo, que mais se fizeram notar na PFW em Paris foram aqueles da GmbH, realizados por dois criadores chamados Serhat Işık (alemão de ascendência turca) e Benjamin Alexander Huseby (filho de pai paquistanês e de mãe norueguesa), que vivem em Berlim e acabaram de ser contratados para desenhar para a maison Trussardi em Milão.
 
A GmbH – cujo nome vem do equivalente alemão Ltd Co. – filmou um vídeo cool e inusitado, que recordou aquele grande clássico da ficção científica e drama, THX 1138 (o primeiro filme escrito e dirigido por George Lucas datado de 1971), com distâncias tornadas redundantes por todo o espaço branco sem fim. E, no qual, a GmbH Berliner apresentou múltiplas versões de botas, desde aquelas de pirata às de montaria, passando pelo Velho Oeste, via Vegas.
 
A sua visão é pura: sobrecasacas envolventes inspiradas nas do bandido de estrada inglês, Dick Turpin, que se tornou lendário após ter sido executado em York por roubo de cavalos; dragoons de discoteca com calças de cabedal finas e botas de salto alto; camisas de seda cor-de-rosa amarradas ao estilo matador latino; calças jeans em azul lavado e calças de cabedal a condizer.
 A dupla de designer de Berlim corta tiras extra de tecido para enrolar à volta do tronco; e trabalha a maioria dos looks, acrescentando-lhes polimento até ao equilíbrio.
 
Politicamente, Işık e Huseby mostram-se também empenhados, a julgar pelo seu segundo look – uma T-shirt com os dizeres Free Palestine (Palestina Livre); enquanto as malhas vermelhas de cashemere relevam um martelo branco e uma foice, surgindo igualmente noutras tonalidades. Algumas das suas grandes preocupações políticas envolvem a integração de refugiados e o fechamento de fronteiras, ou histórias sobre como o pensamento e costumes islâmicos moldaram a sociedade ocidental, o que de alguma forma transportam para a moda.
 
Acima de tudo, a dupla capta o fermento artístico de Berlim – sem recorrer a todas as roupas pretas aí usadas e lavadas de chuva – que se associa à capital política e partidária da Alemanha.
 
Todo o trabalho ao longo do vídeo consegue expressar um sentimento orgulhoso perfumado e até mesmo preppy, tendo em conta os avantajados jeans combinados com roupões em devim; ou os vestidos jeans rematados por penas de marabu branco. Todos os looks com tons de super-herói são ostentados pelo mais orgulhoso dos elencos.
 
Işık e Huseby farão a sua estreia na Trussardi com a coleção de outono-inverno de 2022. A julgar por esta coleção para a sua própria marca, a Trussardi será o espetáculo mais esperado em Milão.

Phipps: sobrevivente de upcycled para o verão 2021



ENDURANCE - TRAILER (HD) - FW21 PHIPPS FILMS


"Estou tentando recuperar o sobrevivente para um ponto de vista liberal", sorriu o barbado Spencer Phipps, o estilista de São Francisco que criou uma maison de moda florescente em Paris.
 
A sua estética para o próximo verão: roupa de trabalho e roupa esportiva ativa encontra o upcycling para criar moda funky vestível. Apresentado como um vídeo de quatro minutos no domingo (27 de junho), o último dia da PFW de moda masculina em Paris. 
 
Como 90% das maisons registadas no calendário oficial, Phipps saltou o desfile ao vivo esta temporada, apresentando em vez disso um vídeo de quatro minutos que incluía nômades do outback, estudantes do deserto e lutadores mexicanos, gravado dentro de um Coliseu pós-moderno virtual.
 
O que funcionou melhor foram as suas ideias de patchwork – como os minicasacos de abraçar o corpo da Loro Piana e os painéis de nylon de alta densidade; ou o material de caça de camuflagem abstrato para as raves do interior da cidade.
 
Spencer Phipps gosta tanto de upcycling, que criou uma cápsula inteira baseada em camisas de times de futebol, indo buscar inspiração nos Miami Dolphins e até no Manchester United. E ostentando uma camisa vintage Man-U, do tipo usada por Eric Cantona – ator, diretor de futebol, treinador de futebol de areia e ex-jogador de futebol francês.
 
Phipps sugeriu que Cantona poderia trabalhar a camisa no seu vídeo. O seu irmão e agente adorou a ideia, mas propôs em troca uma taxa de 100.000 euros. Phipps mostrou-se naturalmente indignado, não era exatamente uma taxa de sobrevivência.

Dunhill: parka-mania



DUNHILL IDENTITIES: SPRING SUMMER 2022 COLLECTION


Foi com a parka-mania para a Dunhill, que o designer britânico Mark Weston empurrou a marca bastante para a frente, mantendo ao mesmo tempo uma grande dose de seu britanismo. A grande ideia nesta temporada foi o conceito de Identidades, explorando uniformes e contrastando o estilo caseiro com a sofisticação.
 
"Eu queria uma evolução da temporada passada, não começo aleatoriamente do zero. É mais sobre brincar e brincar com códigos. O homem da Dunhill reflete Londres e o que é contemporâneo na moda masculina", acrescentou Weston num Zoom, a partir do seu estúdio em Mayfair, distrito de classe alta com elegantes casas georgianas, junto ao frondoso Hyde Park, no centro de Londres.

Não houve desfile, mas o vídeo de um lookbook onde um elenco inclusivo foi colocado antes do Edwardian Redbrick London – o dispendioso bloco de apartamentos, em Kensington, de tijolo vermelho – pavoneando-se na abordagem ativa e técnica de Weston para a marca britânica de artigos de luxo fundada em 1893. Fazendo evoluir as suas parkas em arquétipos de um só peito; e brincando com as suas gabardinas de vários painéis; Mark Weston vai reinventando o tradicional em materiais inesperados: como uma camisa clássica em seda branca com um placket, tudo multi-puckered para fazer com que pareça um seersucker. Ou a sua malharia Déco com casacos de quatro bolsos terminados com logótipos "D" alongados.
 
A outra grande inovação de Weston foi trabalhar com a fotógrafa Ellen Carey, uma artista americana conhecida pela fotografia conceitual que explora abordagens não tradicionais da luz, e que trabalha com Polaroids.
 
"O que me impressionou no seu trabalho foram os gráficos, a cor e o sentido de abstração", explicou o designer, que fundiu elementos do catálogo de Carey em camisas e tops dramáticos de seda com estampas em preto e branco de animais intangíveis. Deixando muitos com bordas e acabamentos em bruto, onde o nome e a fotografia de Ellen Carey são referenciados.
 
Com o Reino Unido prestes a emergir do lockdown, como você sente a atmosfera em Londres?
 
"As nossas lojas estão abertas, e tem havido um bom tráfego. Mas o trabalho remoto com as fábricas é um desafio. Fizemos as coisas funcionar, e estou feliz, mas mal posso esperar para voltar a visitar uma fábrica de fato", disse o diretor criativo da marca centenária Dunhill, que conta com quase duas décadas de experiência global no design de todas as áreas do vestuário e acessórios masculinos.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.