×
Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
4 de jun de 2018
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Richemont vende Lancel à italiana Piquadro

Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
4 de jun de 2018

O grupo suíço Richemont, número dois mundial do luxo, anunciou na segunda-feira a conclusão da venda da empresa francesa de acessórios Lancel à italiana Piquadro, especialista em artigos de couro e de viagem.


Lancel


Conforme comunicado pela Piquadro, a Richemont receberá durante os próximos dez anos uma parte dos lucros da Lancel, por um valor total que não excederá os 35 milhões de euros.

"Estamos orgulhosos por termos adquirido uma marca histórica francesa que representa a excelência única, um ícone do estilo desde 1876", congratulou-se Marco Palmieri, proprietário de Piquadro, que vê na Lancel "um grande potencial de crescimento".

A Richemont afirmou que a venda não terá um impacto substancial nos resultados do ano em curso da empresa. O grupo suíço iniciou em março as negociações com a Piquadro, uma marca italiana de artigos de couro em plena expansão.

Fundada em Paris, em 1876, por Angèle Lancel, a marca de bolsas, conhecida sobretudo por um dos modelos desenhados para prestar homenagem à atriz francesa Brigitte Bardot, passou para as mãos da Richemont em 1997.

Com um sólido reconhecimento na França, a marca Lancel é também apreciada na Rússia, China e Médio Oriente, mas, nos últimos anos, tem sido caracterizada pelos analistas financeiros como "a filha problemática" da Richemont.

Em 2013, generalizaram-se rumores sobre a possível venda da Lancel, especialmente desde a saída de Marty Wikstrom, responsável pela divisão de moda e acessórios. O grupo eliminou os rumores explicando que preferia manter a marca e concentrar-se no seu relançamento.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.