×
Por
AFP
Publicado em
13 de mai. de 2013
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Renzo Rosso (Diesel) patrocina a restauração do Rialto em Veneza

Por
AFP
Publicado em
13 de mai. de 2013

© 2013 AFP – A restauração da famosa ponte de pedra de Rialto em Veneza será patrocinada e inteiramente financiada pelo fundador da Diesel, Renzo Rosso, anunciaram a cidade e Renzo Rosso na terça-feira passada em Veneza.

O acordo, que prevê um custo de 5 milhões de euros, foi assinado por Renzo Rosso, presidente do grupo OTB (Only The Brave) e Manuel Cattani, responsável pela divisão de trabalhos públicos do município.

Os trabalhos começarão "nos primeiros meses de 2014, será o tempo de redigir o projeto definitivo, e durarão 18 meses a partir do início da obra", explicou à AFP o secretário de cultura da cidade, Alessandro Maggioni.


Segundo o secretário, já houve em Veneza outras restaurações de monumentos financiadas por patrocinadores, mas "nunca uma tão importante quanto esta aqui".

"É a primeira porque este é o monumento símbolo de nossa cidade", disse com alegria, referindo-se à ponte de 48 metros de comprimento construída entre 1588 e 1591. Adornada com uma fileira de lojas, é uma das quatro pontes que permitem a travessia do Grande Canal. Segundo Maggioni, ela realmente precisa de uma restauração, mesmo que não haja indicações de que corra o risco de desabar.

O prefeito Giorgio Orsoni agradeceu Renzo Rosso, "em nome dos Venezianos e do mundo inteiro por esta colaboração entre o público e o privado".

Renzo Rosso respondeu que, em sua visão de empresa moderna, "se conseguimos lucros, é normal que os bens culturais e a sociedade se beneficiem deles, principalmente neste momento".

"Isto não significa que o privado deva substituir o Estado, mas tem de colaborar com o objetivo de construir um mundo melhor", enfatizou o fundador da Diesel, parabenizando Veneza pela "eficiência e rapidez com a qual a operação foi preparada".

Em troca dos recursos investidos, Renzo Rosso poderá utilizar cerca de 30% do canteiro da obra (120 m2) para afixar publicidades e painéis nos pontões e vaporetti. "Mas isso será pouco invasivo", assegurou Alessandro Maggioni.

Veneza se vê obrigada a buscar financiamentos privados, "uma vez que a cidade e o país passam por dificuldades", no momento em que ela "precisa de muita manutenção", ressaltou ele. "Seria preciso restaurar a ponte da Academia, restaurar outras pontes, refazer os pavimentos em certos locais, desassorear os canais, arrumar as margens".

O Estado havia se comprometido com o financiamento dos trabalhos com até 50 milhões de euros, mas esses fundos nunca foram alocados.

A holding OTB de Renzo Rosso, a qual controla as marcas Diesel, Matin Margiela, Viktor Rolf, realizou em 2012 um volume de negócios de 1,5 bilhões de euros e emprega 6.500 pessoas em todo o mundo.

Outros acordos público-privados foram concluídos nos últimos meses na Itália, por exemplo, para a restauração do Coliseu em Roma, que será financiada com a previsão de 25 milhões de euros pela fabricante de calçados de luxo Tod's.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.