×
820
Fashion Jobs
CAEDU
Supervisor de Vendas - Barueri
Efetivo - CLT · Barueri
STUDIO Z
Coordenador de Planejamento Comercial
Efetivo - CLT · FLORIANÓPOLIS
GRUPO MEIA SOLA
Gerente de Marketing
Efetivo - CLT · FORTALEZA
GRUPO BOTICARIO
Executivo de Vendas ii (São Paulo)
Efetivo - CLT · São Paulo
LULITEX COM IMP EXP LTDA
Auxiliar Comercial
Efetivo - CLT · SÃO PAULO
GRUPO LUNELLI
Analista de Gestão de Pessoas Pleno - Treinamento e Desenvolvimento
Efetivo - CLT · Guaramirim
GRUPO LUNELLI
Analista de Gestão de Pessoas - Assistente Social
Efetivo - CLT · Guaramirim
GRUPO BOTICARIO
Supervisor(a) de Lojas - Quem Disse, Berenice?
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
CAMICADO
Supervisor de Vendas e Operação de Loja - Brasília
Efetivo - CLT · Brasília
RENNER
Encarregado de Logistica E-Commerce
Efetivo - CLT · Rio de Janeiro
GRUPO BOTICARIO
Supervisor(a) de Lojas - o Boticário
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
GRUPO BOTICARIO
Product Owner E-Comm
Efetivo - CLT · Curitiba
IBRANDS
Líder de Logística
Efetivo - CLT · SÃO PAULO
GRUPO BOTICARIO
Analista Gestão de Riscos Csc pl
Efetivo - CLT · Curitiba
AVON
Comprador Sênior
Efetivo - CLT · São Paulo
AVON
Comprador Sênior
Efetivo - CLT · São Paulo
RENNER
Supervisor de Vendas| Sobral Shopping - ce
Efetivo - CLT · Sobral
RENNER
Supervisor de Vendas | Rio Verde
Efetivo - CLT · Rio Verde
RENNER
Supervisor de Vendas| Imperial Shopping - Imperatriz ma
Efetivo - CLT · Imperatriz
RENNER
Supervisor de Vendas| Shopping Golden Calhau - São Luís
Efetivo - CLT · São Luís
RENNER
Supervisor de Vendas| São Luís Shopping
Efetivo - CLT · São Luís
RENNER
Supervisor de Vendas| Natal Shopping
Efetivo - CLT · Natal

Lanvin procura novas soluções

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 22 de dez de 2017
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

PARIS (Reuters) - A Lanvin não recebeu a injeção de capital prometida pelo seu acionista maioritário, mas a direção da casa de moda assegura que pode encontrar outras soluções para reavivar a empresa.


REUTERS/Charles Platiau


No início de novembro, a proprietária da marca, Shaw-Lan Wang, anunciou a sua intenção de recapitalizar a marca, após a Reuters ter revelado que o auditor de contas alertou o tribunal de comércio de Paris para a situação financeira crítica da empresa. “Uma assembleia geral de acionistas foi agendada para 23 de novembro para decidir sobre um aumento de capital. A assembleia foi adiada para 29 de novembro, depois para 20 de dezembro e acabou por não acontecer”, disseram à Reuters duas fontes próximas do caso.
 
Contactado pela Reuters, Nicolas Druz, recentemente nomeado diretor geral adjunto, assegurou que “soluções financeiras e industriais perenes, que não passam por um aumento de capital, serão encontradas até ao final de março”. Estas permitirão resolver os problemas de fluxo de caixa e relançar o desenvolvimento da sociedade, acrescentou.

“Os salários de dezembro, janeiro e fevereiro serão pagos”, disse o responsável.

A passar um momento conturbado desde a saída do seu antigo diretor artístico Alber Elbaz, em outubro de 2015, a mais antiga maison de couture francesa ainda em atividade não consegue parar a queda das vendas.

O seu volume de vendas caiu para 96,9 milhões de euros este ano, revelando uma descida de 32,9% após uma queda de 23% em 2016, revelou uma fonte. Este desenvolvimento contrasta com a recuperação observada no ano passado em marcas de luxo como Louis Vuitton (de propriedade da LVMH) e Gucci (Kering), que beneficiaram de uma explosão de compras por parte dos clientes chineses.

PERDAS ACENTUADAS
 
Neste contexto, as perdas de 2017 podem ultrapassar os 27 milhões de euros previstos no início do ano, após uma perda líquida de 18,3 milhões em 2016. O fluxo de caixa da empresa é de 15,9 milhões de euros, de acordo com as mesmas fontes.
 
Não foi dada nenhuma explicação sobre o motivo do cancelamento da assembleia geral prevista para 20 de dezembro, que poderia estar relacionado com um desacordo entre acionistas.
 
Shaw-Lan Wang controla 75% do capital da Lanvin. O restante é detido pelo empresário suíço Ralph Bartel, que, em desacordo com a estratégia e com a escolha de um designer, para a qual não foi consultado, renunciou ao conselho de administração em julho passado.
  
Em julho, a nomeação de Olivier Lapidus (conhecido por desenhar mobiliário para a Gifi ou vestidos de noiva para a marca Pronuptia) para ficar à frente da direção artística caiu como uma bomba na empresa e no mundo da moda.  

Além disso, espera-se em breve uma decisão arbitral acerca do litígio entre a Lanvin e Alber Elbaz relativamente às condições da sua partida. Os danos reclamados pelo couturier ascenderiam a dezenas de milhões de euros, de acordo com outra fonte.
 
Por Pascale Denis, editado por Jean-Michel Bélot

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.