×
891
Fashion Jobs
STUDIO Z
Coordenador de Planejamento Comercial
Efetivo - CLT · FLORIANÓPOLIS
GRUPO MEIA SOLA
Gerente de Marketing
Efetivo - CLT · FORTALEZA
GRUPO BOTICARIO
Executivo de Vendas ii (São Paulo)
Efetivo - CLT · São Paulo
LULITEX COM IMP EXP LTDA
Auxiliar Comercial
Efetivo - CLT · SÃO PAULO
GRUPO LUNELLI
Analista de Gestão de Pessoas Pleno - Treinamento e Desenvolvimento
Efetivo - CLT · Guaramirim
GRUPO LUNELLI
Analista de Gestão de Pessoas - Assistente Social
Efetivo - CLT · Guaramirim
GRUPO BOTICARIO
Supervisor(a) de Lojas - Quem Disse, Berenice?
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
CAMICADO
Supervisor de Vendas e Operação de Loja - Brasília
Efetivo - CLT · Brasília
RENNER
Encarregado de Logistica E-Commerce
Efetivo - CLT · Rio de Janeiro
GRUPO BOTICARIO
Supervisor(a) de Lojas - o Boticário
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
GRUPO BOTICARIO
Product Owner E-Comm
Efetivo - CLT · Curitiba
IBRANDS
Líder de Logística
Efetivo - CLT · SÃO PAULO
GRUPO BOTICARIO
Analista Gestão de Riscos Csc pl
Efetivo - CLT · Curitiba
AVON
Comprador Sênior
Efetivo - CLT · São Paulo
AVON
Comprador Sênior
Efetivo - CLT · São Paulo
RENNER
Supervisor de Vendas| Sobral Shopping - ce
Efetivo - CLT · Sobral
RENNER
Supervisor de Vendas | Rio Verde
Efetivo - CLT · Rio Verde
RENNER
Supervisor de Vendas| Imperial Shopping - Imperatriz ma
Efetivo - CLT · Imperatriz
RENNER
Supervisor de Vendas| Shopping Golden Calhau - São Luís
Efetivo - CLT · São Luís
RENNER
Supervisor de Vendas| São Luís Shopping
Efetivo - CLT · São Luís
RENNER
Supervisor de Vendas| Natal Shopping
Efetivo - CLT · Natal
RENNER
Supervisor de Vendas| Sobral Shopping - ce
Efetivo - CLT · Sobral

Google Glass: futuro incerto e perda de fé dos adeptos mais antigos

Por
Europa Press
Publicado em
today 20 de nov de 2014
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

São Francisco (Reuters/EP) – Após dois anos aparecendo em eventos de destaque usando o Google Glass, o dispositivo que transforma óculos em tecnologia de filmes de espião, o cofundador do Google Sergey Brin surgiu sem nada no rosto num evento no Vale do Silício no último domingo (16).


Ele havia deixado o seu Glass no carro, disse Brin a um repórter. O executivo do Google, que chefia o laboratório ultrassecreto que desenvolveu o Glass, não desistiu do produto, tendo usado o seu há pouco tempo em uma praia.

Mas o momento escolhido por Brin para não usar seu Glass não é auspicioso. Muitos desenvolvedores e usuários antigos do Glass estão perdendo o interesse na muito propagandeada versão de teste de 1.500 dólares do produto: uma câmera, processador e tela de computador do tamanho de um selo montados na ponta da armação do óculos. O próprio Google adiou o lançamento do Glass para o mercado de massa.

Embora o Glass possa encontrar alguns usos especializados, até mesmo lucrativos, no local de trabalho, as perspectivas de se tornar um sucesso entre consumidores no futuro próximo são baixas, dizem muitos desenvolvedores.

Dos 16 desenvolvedores de aplicativos para o Glass procurados pela Reuters, nove disseram que pararam de trabalhar ou abandonaram seus projetos, na maior parte devido à falta de consumidores ou às limitações do dispositivo. Outros três passaram a desenvolver aplicativos para negócios, deixando para trás projetos para consumidores.

Um bom número de desenvolvedores maiores continuam com o Glass. Os quase 100 aplicativos no site oficial incluem o Facebook e OpenTable, apesar de que um grande ator recentemente desertou: o Twitter.

"Se houvesse 200 milhões de Google Glasses vendidos, seria uma perspectiva diferente. Não existe mercado a este ponto", disse o administrador delegado da Little Guy Games, Tom Frencel, que suspendeu o desenvolvimento de um jogo para o Glass este ano e está olhando para outras plataformas, incluindo o óculos de realidade virtual Oculus Rift, de propriedade do Facebook.

Vários importantes funcionários do Google, instrumentais em desenvolver o Glass, deixaram a companhia nos últimos seis meses, incluindo o líder desenvolvedor Babak Parviz, o engenheiro elétrico chefe Adrian Wong e Ossama Alami, diretor de relações com desenvolvedores.

Além disso, um consórcio de financiamento do Glass criado pela Google Ventures e dois dos maiores investidores de risco do Vale do Silício, Kleiner Perkins Caufield & Byer e Andreessen Horowitz, silenciosamente apagaram seu site na web, encaminhando usuários para o site principal do Glass.

O Google insiste que está empenhado com o Glass, com centenas de engenheiros e executivos trabalhando nele, além da nova chefe fashionista Ivy Ross, ex-executiva da Calvin Klein. Dezenas de milhares de pessoas usam o Glass no programa piloto para consumidores.

"Estamos completamente energizados e tão energizados como sempre sobre a oportunidade que dispositivos vestíveis e o Glass em particular representam", disse o chefe de operações de negócios do Glass, Chris O'Neill.

O Glass foi o primeiro projeto a surgir da divisão X do Google, o grupo sigiloso que tem como tarefa desenvolver produtos de altíssima tecnologia como carros com direção autônoma. O Glass e dispositivos vestíveis no geral representam uma nova tecnologia, como os smartphones foram um dia, que provavelmente vai demorar um tempo para evoluir a um produto que os consumidores gostem.

"Estamos tão engajados como sempre estivemos com um lançamento para consumidores. Isso vai demorar um tempo e não vamos lançar este produto até que ele esteja absolutamente pronto", disse O'Neill.

Brin havia previsto um lançamento este ano, mas 2015 é a data mais provável agora, disse uma pessoa familiarizada com o assunto.

Imagem: Divulgação

Copyright © 2019 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.