×
Publicado em
31 de jul. de 2016
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

GDS rende bons negócios para o calçado brasileiro

Publicado em
31 de jul. de 2016

Diante de um cenário complicado ainda para a economia brasileira, mesmo já tendo aparecido a luz no fim do túnel, segundo muitas empresas do setor, o calçado brasileiro segue seus passos nas feiras internacionais. Esta vez o setor esteve presente na GDS, encontro alemão que ocorreu entre 26 e 28 de julho em Düsseldorf, na Alemanha, por meio de 22 empresas que devem alcançar mais de US$ 25 milhões em negócios para os próximos seis meses.

Com negócios realizados na feira. as empresas brasileiras de calçados devem alcançar mais de US$ 25 milhões em vendas para os próximos seis meses. - Messe Düsseldorf


A presença em mais este certame no exterior se deu por intermédio do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).
 
Segundo a Abicalçados, o salão alemão proporcionou ao setor calçadista brasileiro a negociação de 826,8 mil pares, pelos quais os compradores desembolsarão cerca de 7 milhões de dólares, mais do que o dobro do conferido na edição do ano anterior. "Nesta edição, com menos marcas participantes – ano passado eram 29 – geramos um resultado melhor, o que demonstra a assertividade cada vez maior das coleções brasileiras", celebra a analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Patrícia Ledur.

Na realidade, o encontro alemão segue buscando uma fórmula estável para seu crescimento, um fato que tem se mostrado difícil para a organização. Nesta última edição, o salão reuniu 12.500 varejistas, contra 15.000 no ano anterior. No entanto, o encontro que também registrou 740 marcas, parece ter sido bom para as empresas brasileiras presentes.
 
Para Patrícia Ledur, constatando o que foi visto, a feira estava menor, porém com compradores mais qualificados e receptivos ao calçado nacional, o que levou os negócios na feira a gerar mais 18 milhões de dólares, dentro dos próximos seis meses, para as empresas brasileiras. "Registramos muitos contatos e novos visitantes interessados no calçado brasileiro. Apesar de menor, a feira foi muito focada e isso favoreceu o expositor", avalia Patrícia.
 
A feira alemã retorna entre 7e 9 de fevereiro, com as coleções outono-inverno, e depois entre os dias 25 e 27 de julho com as propostas para o verão.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.