×
Publicado em
25 de ago de 2014
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Francal eleva os ânimos do setor calçadista brasileiro

Publicado em
25 de ago de 2014

Um mês e pouco depois voltamos a tratar da Francal, que superou as expectativas, a priori negativas, para o setor brasileiro de calçados. O encontro calçadista registrou a presença de menos expositores (800) e de menos visitantes (40.800 frente aos 61.380 de 2013), mas contou com um ambiente de trabalho melhor que o esperado, num ano “muito atípico” devido à celebração da Copa do Mundo FIFA 2014 e das eleições presidenciais de 2014.

Acima de tudo, 2014 tem sido marcado pela queda das vendas e das exportações de calçados brasileiros devido à alta sistemática da inflação, da taxa de juros e, de forma definitiva, da saturação de um mercado que registrou um “boom” incrível nos últimos anos.


Os resultados revelados pela feira confirmam a presença de 40.800 visitantes profissionais: 17.505 brasileiros e 1.015 estrangeiros oriundos de 60 países (26.360 e 1.520 respectivamente em 2013). Entre os estrangeiros destaca-se colombianos, bolivianos, peruanos e equatorianos.


Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal confirmou: “para o setor calçadista o ano começou agora. Superamos as expectativas que eram boas, levando-se em conta os resultados ruins do primeiro trimestre, devido ao atual cenário econômico do Brasil. A Francal contribuiu para a revitalização das relações entre a indústria e a distribuição”.

De fato, muitos fabricantes consultados pelo FashionMag confirmaram que, nos primeiros dias do evento, foi registrado um volume de negócios similar ao do ano passado. Heitor Klein, presidente da Abicalçados (Associação Brasileira das Indústrias de Calçados) também sublinhou que os pedidos superaram as expectativas, que no início se demonstravam negativas.

A incerteza foi uma das principais causas para que muitos fabricantes habituais não tenham apresentado as suas coleções na edição deste ano. Alguns optaram por expor em hotéis próximos à feira, que ocorreu na zona norte da capital paulista.

Para o presidente da ABLAC (Associação Brasileira de Lojistas de Artefatos e Calçado), Antoniel Marrachide, “as coleções apresentadas contribuem para o incremento das vendas no segundo semestre deste ano”.


Heitor Klein mostrou-se preocupado com a perda de postos de trabalho no setor e com a queda das exportações. Em sua opinião, é necessário realizar políticas em prol da formação de mão de obra qualificada, reduzir a alta carga tributária, evitar a instabilidade na taxa de câmbio do real e flexibilizar a legislação trabalhista. Para Klein, “as empresas brasileiras devem demonstrar eficiência na gestão empresarial. Inovar e surpreender com produtos de design e qualidade a preços adequados. Temos de satisfazer às exigências do consumidor e ser competitivos. Desta maneira e só assim, poderemos estruturar bases sólidas voltadas para 2015”.

As datas para a edição de 2015 da Francal já foram reveladas, ocorrendo de 6 a 9 de julho, ainda que sejam ouvidas vozes do setor que aconselham um adiantamento no calendário para o próximo ano.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.