×
879
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Fausto Puglisi: "Ungaro corresponde a meu universo nas cores, na desordem, no lado mais feminino"

Publicado em
today 4 de mar de 2013
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

É o novo nome que surge no planeta fashion. Em alguns meses, o jovem estilista siciliano, adepto de uma moda ao mesmo tempo sensual e barroca, se tornou a coqueluche da imprensa internacional. Durante a semana de moda milanesa, que terminou na terça-feira 26 de fevereiro, Fausto Puglisi (36 anos) alcançou a consagração durante a apresentação de sua coleção de prêt-à-porter feminino, suscitando muitos comentários entusiasmados. Os olhares estão agora voltados para Paris, onde ele revelará a coleção de Emanuel Ungaro durante um desfile em 4 de março.

O relançamento da grife foi confiado, em setembro passado, ao grupo de moda italiano Aeffe por meio de uma licença. O novo diretor criativo da grife francesa, Fausto Puglisi nos conta seu percurso e como ele está encarando esta nova aventura.

Fausto Puglisi


FashionMag.com: Como você vê este primeiro importante desfile em Paris?
Fausto Puglisi: Adoro a França e estou muito empolgado. Esta será minha primeira verdadeira experiência parisiense, pois foi para cá que voltei meu olhar quando vim dos Estados Unidos. Particularmente fiquei muito comovido quando fui à sede da empresa, na avenue Montaigne. Emanuel Ungaro corresponde totalmente a meu universo nas cores, na desordem, no lado mais feminino. Ele me fazia sonhar quando eu era jovem, no mesmo patamar que Christian Lacroix ou Gianni Versace. Ele era de um temperamento muito forte, mas com um conhecimento da costura e das cores excepcional. Nos últimos tempos, não tenho sido mal cortejado, mas é com esta grife que decidi trabalhar, pois ela permite que eu me dedique a outro nome, sem falsificar meu estilo.

FM: Como será esta coleção?

FP: Eu não posso te revelar nada no momento. Mas eu te prometo grandes surpresas.

FM: Como você chegou à moda?
FP: Sempre tive esta paixão. Uma vez terminado o colégio em Messina, na Sicília onde nasci, fui para os Estados Unidos, o país que representava meu sonho. Eu me juntei a um primo que trabalhava em um restaurante em Nova York, o Tribeca Grill de Robert De Niro. Tomava conta do vestiário e comecei a fazer contatos, especialmente com Patti Wilson, a fashion stylist de muitas celebridades. Mudando de assunto, eu me vi na Califórnia, onde conheci Arianne Phillips, a estilista de Madonna. Comecei a desenhar roupas especiais e únicas para esta cantora e outras estrelas tais como Whitney Houston, Jennifer Lopez, Britney Spears, Kylie Minogue. Era como viver uma sucessão de reviravoltas!

FM: O que aconteceu em seguida?

FP: A partir daí, os primeiros pedidos foram chegando de grandes lojas americanas. Junto com essas peças de fortes, eu confeccionava coleções cápsulas um pouco mais comerciais. Em 2006, retornei à Itália para fazer uma colaboração com Donatella Versace. Depois fui para Istambul trabalhar para um produtor especializado em acessórios de couro, fornecendo para grandes marcas.

Fausto Puglisi, outono-inverno 2013/2014


FM: Como você lançou sua própria linha?
FP: Graças à minha experiência americana, meu trabalho começou a ser reconhecido por um pequeno número de clientes e de pessoas do mundo fashion, dentre os quais Domenico Dolce e Stefano Gabbana. Em 2010, eles me propuseram distribuir a minha marca em sua loja milanesa na Via Spiga 2, dedicada aos jovens estilistas, oferecendo-me um grande suporte. A partir daí, tudo mudou. Grandes compradores entraram em contato comigo.

FM: Em que ponto você está com sua marca hoje?
FP: Estou estruturando a pequena empresa criada com meu sócio Gianluca Romanò. Nós contamos com cerca de cem clientes multimarcas top como a Eclaireur em Paris, a Biffi em Milão, mas também no Japão, em Dubai e Hong Kong.

FM: Como você definiria seu estilo?

FP: Meu universo se inspira ao mesmo tempo na costura italiana e na contracostura americana. Particularmente, sou muito ligado ao artesanato mediterrâneo. Todos os acessórios em metal e as jóias, por exemplo, são feitos por um artesão na Sicília. Minhas coleções são inteiramente Made in Italy. Para os tecidos, eu trabalho com uma empresa de Modena, as estampas são feitas em Como, os bordados em Lodi etc.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.