×
Publicado em
14 de nov. de 2012
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Fashion Rio e Rio-à-Porter receberam investimentos de R$ 40 mi

Publicado em
14 de nov. de 2012

O Píer Mauá foi palco de mais uma edição do Fashion Rio e do Rio-à-Porter. Os eventos marcaram a mudança das datas do Calendário Oficial da Moda Brasileira, há tempos solicitada pelo mercado. Durante quatro dias, 50 mil pessoas movimentaram os corredores do salão de negócios do Fashion Rio e as salas de desfiles, onde marcas apresentaram suas coleções de Inverno 2013.

Píer Mauá, localizado na zona portuária do Rio - Foto: Agencia Fotosite

A transformação do calendário traz uma série de vantagens para a indústria da moda, que terá prazos mais alongados de produção e entrega, beneficiando o trabalho de criadores e compradores. Segundo Paulo Borges, diretor criativo do Fashion Rio e do Rio-à-Porter, a moda estará definitivamente inserida no mercado global, atendendo com eficiência as demandas do varejo.

Com três edições neste ano – janeiro, maio e novembro –, 2012 alcança um recorde em investimentos no setor da moda, somando R$ 40 milhões apenas na realização do Fashion Rio e do Rio-à-Porter. Para a 22ª edição do Fashion Rio, que gerou cerca de sete mil empregos diretos e indiretos, foram investidos 10 milhões de reais na produção.

No evento em que profissionais da moda se uniram para realizar uma edição histórica, Filipe Jardim deu um charme a mais aos ambientes, com ilustrações inspiradas no cenário carioca e em projetos de Oscar Niemeyer. Além dos desfiles, o AfroReggae e a Reserva lançaram em parceria o selo AR de sustentabilidade social, com renda revertida para os projetos da entidade.

No Rio-à-Porter, que reuniu 145 expositores de todas as regiões do Brasil, estreantes como Coca-Cola Clothing, FH por Fause Haten, Herchcovitch, João Pimenta, Têca e Triton exibiram suas coleções para compradores nacionais e internacionais, além de lojistas e profissionais da moda. Segundo Graça Cabral, diretora de projetos especiais da Luminosidade, houve um aumento de 20% no volume de negócios no Rio-à-Porter nesta edição de transição: “Com o ajuste do calendário, vivemos um cenário favorável para todos os envolvidos no processo criativo da indústria”, explica.

Um dos mais importantes fomentadores de negócios para micro e pequenos empresários, o Rio-à-Porter possibilitou aos polos de diferentes estados a oportunidade de negociar suas criações para centenas de compradores. Nesse contexto, o SEBRAE Nacional, o SEBRAE-RJ e a Firjan tiveram um papel fundamental.

Segundo Andrea Lopes, coordenadora de Moda do SEBRAE-RJ, 12 polos de moda do Estado do Rio uniram forças para produzir as coleções que foram apresentadas durante o salão de negócios. Os expositores precisaram se organizar para atender, ainda, as demandas pós-evento.

Para Juliana Borges, coordenadora de Moda, do SEBRAE nacional, o novo calendário marcou uma transição importante para os eventos. “O Sebrae, ao participar desse processo como parceiro, pôde contribuir com uma estratégia para que as micro e pequenas empresas dos polos de moda da instituição pudessem se ajustar para atender a essa nova demanda do mercado, sem perder a competitividade", avaliou.

Mesmo diante dos desafios desta edição, a FIRJAN comemora. “A edição Inverno 2013 do Rio-à-Porter obteve resultados bastante significativos, o que só comprova a força da indústria da moda no Rio de Janeiro", celebra Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, presidente da FIRJAN.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.