×
906
Fashion Jobs

DFS desembarca em Veneza para conquistar a Europa

Publicado em
today 28 de set de 2014
Tempo de leitura
access_time 4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Anunciada há meses, a chegada do DFS Group (Duty Free Shoppers) à Veneza foi confirmada nos últimos dias.

A marca de duty free, pertencente ao grupo LVMH, convocou uma coletiva de imprensa internacional, há alguns dias, na cidade dos Doges, para apresentar oficialmente este ambicioso projeto, que marca a sua entrada no mercado europeu.

Uma etapa importante para o grupo sediado em Hong Kong e presente principalmente na Ásia, que conta também com lojas na América do Norte, no Oriente Médio e na Oceania.

A DFS vai se instalar no palácio do Fondaco dei Tedeschi em Veneza.


A DFS fixou a sua escolha no Fondaco dei Tedeschi, o segundo edifício mais importante em Veneza, depois do palácio ducal, construído no início do século XIII (1228) aos pés da centralíssima ponte de Rialto, para receber os “Tedeschi” (a palavra significa Alemães), negociantes que comercializavam em todo o norte da Europa os produtos vindos do Oriente e do Mediterrâneo, os quais transitavam por Veneza, ponto nevrálgico do comércio entre o Oriente e o Ocidente à época.

O atual edifício, reconstruído depois de um incêndio, data de 1508. Com uma superfície de 7906 m², ele possui 5 níveis que se articulam em torno de um imenso pátio interno com uma cobertura de vidraça.

A fachada, de arquitetura sóbria e bastante inovadora para a época, apresenta inúmeras janelas que se abrem para o Grande Canal.

Ao término de um ano e meio de pesquisa e de negociações, a DFS concluiu um acordo com a Edizione, a holding da família Benetton, proprietária desse palácio histórico, o qual ela adquiriu em 2008 por 35 milhões de euros.

A distribuidora especializada no varejo de viagem vai pagar um aluguel aos Benetton, “um contrato de longo prazo”, cujos termos não foram revelados, que se iniciará em 1º de janeiro de 2016 com o objetivo de abrir o ponto de venda em meados de 2016. Uma incumbência para a Edizione de levar a cabo, daqui até lá, os trabalhos de restauração pesada do edifício.

O interior da futura T Galleria (DFS) veneziana


“No início de 2016, nós vamos investir no edifício vazio e vamos preparar o seu interior com a arquiteta inglesa Jamie Fobert. Trata-se, para nós, de um investimento bem pesado de várias dezenas de milhões de euros, mas é também uma incrível oportunidade. Poder se instalar no palácio símbolo para Veneza, que é também historicamente destinado ao comércio, e em um dos locais de passagem mais frequentados da cidade... Não podíamos viver um sonho melhor”, diz entusiasmado Philippe Schaus, CEO do DFS Group.

“Para nós atacarmos a Europa, queremos estar no eixo Paris/Roma. A escolha se restringiu, em seguida, à Itália, em particular em Milão, Roma, Florença e Veneza, que finalmente conquistou a nossa adesão, pois é o destino mais turístico. De fato, não existe nesta cidade uma verdadeira loja de departamentos de luxo. Por outro lado, em algumas categorias, como cuidados com o corpo, beleza ou ainda os relógios, a oferta de varejo não está completa. Por fim, há muito poucos comércios de qualidade em Veneza”, observa o CEO.

Em Veneza, o grupo, líder mundial na venda de produtos de luxo para viajantes (moda-acessórios, beleza-perfumes, comida-presentes, relógios-joias, vinhos-bebidas alcoólicas) vai apostar numa fórmula de venda de altíssima gama, seja em termos de produtos, seja em serviços.

Ele deseja, entre outras coisas, desenvolver um novo conceito de compras “tão comercial quanto cultural”. Apoiado pelas instituições locais, o grupo prevê desenvolver, na realidade, pela primeira vez em sua história, um programa de eventos culturais para oferecer aos seus clientes “uma experiência inédita”.

Philippe Schaus, CEO do DFS Group


Por outro lado, o foco será colocado no artesanato italiano e nos produtos “locais autênticos”. A variedade de marcas de moda será “predominantemente italiana”, assim como as marcas de joias, ao passo que vinhos, produtos gastronômicos e presentes-souvenirs serão típicos de Veneza.

A ideia é trazer novamente aos artesão venezianos sua grande notoriedade de outrora, face a um comércio de souvenirs agora principalmente Made in China.

A marca T Galleria, cadeia de lojas instaladas em cidades da DFS, que não é duty free, vai criar 300 empregos na cidade lacustre e manterá o nome do edifício “Fondaco dei Tedeschi”, para destacar a sua particularidade e seu vínculo com a cidade.

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.