×
879
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Balmain e Balenciaga levam luxo e texturas a Paris

Por
Terra
Publicado em
today 9 de mar de 2010
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Os desfiles de Paris têm colocado, por um lado, um pé no luxo, com a forte presença de peças douradas e tons de pedras preciosas, e por outro, nas referências góticas, além de misturas de estampas e padrões com referências futuristas.




Balmain. Foto: Pixel Formula

O dourado, por exemplo, foi a cor principal de Balmain, um dos desfiles desta quinta-feira em Paris. A grife desenhada por Christopher Decarnin, há algumas temporadas uma das mais incensadas por celebridades, apostou em peças inteiras na cor de ouro, que se misturavam a estampas de animais e ganhavam o brilho de brocados, principalmente nos vestidos curtos. Vermelho, preto e branco também pisaram a passarela. Os ombros pontudos nos ultracurtos vestidos decotados e as jaquetas e blazers em estilo militar voltaram às passarelas de Balmain, como se a mensagem fosse "em time que está ganhando não se mexe."

Futuro
Já O estilista Nicholas Guesquière, para Balenciaga, que abriu os desfiles desta quinta-feira, manteve o apelo futurista que já definiu sua coleção verão 2010, mas desta vez no lugar das calças skinny recheou a passarela de vestidos, saias e jaquetas que mais pareciam armaduras modernas. Materiais em diversas cores ou de diferentes texturas nas cores preto, prata, cinza e bege começam a apresentação, que foi ganhando cores e estampas mantendo a proposta de combinar diversos padrões. Aos poucos a coleção recebe mais movimento com peças mais ajustadas e com a cintura marcada, e predominam vestidos curtinhos com texturas e dobraduras.

Gótico
Na quarta-feira (3), o inglês Gareth Pugh continuou a apresentar referências góticas, desta vez com destaque para o couro. A silhueta esguia das peças foi reforçada com trabalho de listras no couro colocadas na diagonal e com pontas triangulares. Jaquetas predominam na coleção, que também traz vestidos de seda, calças e trench-coat.

A estilista Limi Yamamoto, da marca Limi Feu, também fez desfile de referências góticas, tema reforçado com trilha da banda Metallica. Apesar da inspiração, a coleção privilegia peças oversize, marca registrada da filha de Yohji Yamamoto. Camadas e sobreposições com tecidos de pesos diferentes, do tule à lã, deixaram à mostra peças como vestidos tipo chemise, pantalona em versão bermuda e calças cenoura.

Volumes
Dries Van Noten também apresentou coleção no segundo dia de evento e misturou referências militares a silhuetas dos anos 1950, com saias volumosas, que pareciam mudar a proporção do corpo. Preto, cinza, cáquis, se misturam a estampas, algumas em tons mais vivos, como saia verde com estampa floral, animal prints e o dourado, que aparece desde detalhes a looks completos.

O dourado também marcou a apresentação da grife Rochas, desenhada por Marco Zanini, em algumas peças, que teve inspiração no filme "Flor de Cacto", de 1969, estrelado por Goldie Hawn. O visual era bem anos 1960, inclusive com os cabelos soltos, mas com volume na parte de cima. Anne Valérie Hash trabalhou com estrutura e transparência. Pregas, volumes e dobraduras foram feitos em materiais com leve brilho. As calças aparecem cortadas e usadas sobre outra feita em material diferente, numa alfaiataria renovada.

Pedro Lourenço
Nesta sexta-feira, o estilista Pedro Lourenço, filho de Gloria Coelho e Reinaldo Lourenço, apresenta fora do calendário oficial coleção que leva seu nome. O garoto, de 18 anos, fará a apresentação no Hotel Westin. Pedro assinou seu primeiro desfile em 2003, aos 12 anos, e em 2005, foi aberta a grife com seu nome.



Michelle Achkar e Rosângela Espinossi

Copyright © 2019 Terra. Todos os direitos reservados.