×
Por
Reuters
Publicado em
29 de mar de 2016
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Arezzo caminha com passos mais firmes no mercado americano

Por
Reuters
Publicado em
29 de mar de 2016

A calçadista Arezzo&Co está lutando por uma maior fatia do impiedoso mercado dos Eestados Unidos, um local onde muitos outros fabricantes brasileiros temem pisar, com uma loja âncora abertura no próximo mês e um lançamento nacional previsto para 2017.
 
Com seus preços competitivos, estilos bem trabalhados e ciclos de projeto rápidos, a marca Schutz do grupo Arezzo pode rivalizar com importações chinesas e europeias para os Estados Unidos, disse o diretor executivo Alexandre Birman, de 39 anos, em uma entrevista.

Schutz


Arezzo, que já possui uma loja da Schutz na Madison Avenue, vai contra uma maré de encolhimento das exportações de manufaturados do Brasil, que tem afligido até mesmo seus outrora prósperos calçadistas.
 
Anos de inflação superaquecida e de uma moeda sobrevalorizada fizeram com que poucas marcas brasileiras pudessem rivalizar na maior economia do mundo.

Mas abater os preços das matérias-primas fez o Brasil mergulhar numa profunda recessão, levando sua moeda a níveis de fraqueza recordes, de 1.60 por dólar em 2011 para 3.63 por dólar esta semana, abrindo uma janela de oportunidade aos olhos de Birman.
 
Em matéria de vestuário, não há maneira de o Brasil conseguir competir com a China, mas temos uma chance com os calçados", disse Birman, que colocou a faca nos dentes no mercado americano antes de assumir o negócio da família.
 
"No mercado da moda calçadista, somos competitivos em relação à China à altura de 3,50 por dólar".
 
Schutz abrirá uma unidade em Beverly Hills, um espaço em Los Angeles, em 19 de abril, tendo um círculo de blogueiros de moda na linha de frente. A marca fixou como objetivo um nicho entre as importações chinesas, que custam menos de 100 dólares e sapatos de salto europeus que rondam os 250 dólares, disse Birman.
 
Os modelos da Schutz foram recompensados com pessoas de renome. Uma foto da estrela de reality show Kylie Jenner vestindo botas Schutz marrons acima dos joelhos recebeu quase 1 milhão de 'likes' no Instagram desde fevereiro.
 
"Nós não estamos vendo um claro líder no varejo de calçados dos Estados Unidos hoje, como a Nine West costumava ser", disse Birman, referindo-se à empresa de calçados cujos títulos caíram desde uma aquisição alavancada 2014 pela empresa de private equity Sycamore Partners. Nine West não respondeu a um pedido de comentário.
 
Depois da abertura em Los Angeles, Birman planeja outra loja nos Estados Unidos este ano para medir a procura pela Schutz em shoppings de classe média alta. A empresa mapeou cerca de 30 desses locais para uma distribuição completa nos EUA em 2017, se tudo correr conforme o planejado.
 
A expansão nos Estados Unidos ocorre no momento em que as vendas da Arezzo estagnaram no Brasil devido à pior recessão em décadas. Birman disse que as vendas no mercado interno estão estáveis até agora este ano, esquivando-se de uma queda de dois dígitos nas vendas do varejo mais amplo, ao passo que os brasileiros, que costumava comprar sapatos de luxo no exterior, estão trocando por calçados locais mais em conta.

© Thomson Reuters 2021 Todos os direitos reservados.