×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
25 de jul. de 2019
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Wolford ainda opera no vermelho, mas prevê lucro após ano de estabilização

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
25 de jul. de 2019

Os resultados anuais publicados pela Wolford mostraram uma melhora, embora a empresa especializada em meias premium ainda esteja enfrentando dificuldades. Ela reduziu “ligeiramente” seu prejuízo no ano fiscal encerrado no final de abril, apesar do aumento nos investimentos e da queda na receita. 


Wolford


Além disso, a empresa informou que criou uma “base para o crescimento futuro”, e isso inclui novas linhas de produtos, como uma gama athleisure, que deve estrear nos próximos meses. A Wolford também está mirando no mercado chinês e se beneficiando da renovação de sua imagem. 

A empresa, que é listada na Bolsa de Valores de Viena, informou que sua receita caiu 8%, para 137,22 milhões de euros, e que compartilhou dos mesmos problemas vistos por muitos varejistas, que “sofreram com a desaceleração do crescimento no mercado da moda da Europa Ocidental”. Mas, apesar disso, a Wolford disse que "graças ao impacto sustentável de seu programa de reestruturação", ela "compensou totalmente a queda de 11,85 milhões de euros em sua receita".

O prejuízo operacional (EBIT) apresentou uma leve melhora, diminuindo de 9,22 milhões de euros, no ano anterior, para 8,98 milhões de euros, e o prejuízo líquido também diminuiu para 11,1 milhões de euros, ante 11,53 milhões de euros. O sucesso de seu programa de reestruturação foi "refletido acima de tudo nas despesas de pessoal da empresa", que caíram quase 15 milhões de euros para pouco mais de 60 milhões de euros.

A companhia disse que seu balanço está em uma posição muito melhor do que há um ano, graças à um aumento de capital e que está se direcionando à um "crescimento lucrativo". O ano fiscal recém-encerrado foi visto como "uma oportunidade para estabelecer bases importantes para estabilizar as receitas”.

O trabalho criativo da companhia foi fundamental. Desde agosto de 2018, a empresa implementou um novo conceito nas vitrines de suas lojas na Europa e introduziu um esquema de imagens visuais completamente novo, visando consumidores mais jovens. O novo conceito de loja foi apresentado em Amsterdã e Paris no início deste ano e deve ser lançado em outros locais no futuro próximo, começando com três lojas na Ásia.

A Wolford também informou que está "criando um novo impulso com sua coleção". Em setembro, será lançada no mercado a ATH_W, sua primeira coleção de athleisure, peças com inspiração esportiva que "já tiveram uma recepção positiva de audiências especializadas”. A empresa também otimizou sua organização comercial “para permitir que as atividades de vendas sejam gerenciadas por uma equipe ampliada com sede em Milão”.

Quanto à expansão na China, a empresa está otimista e, no ano passado, fechou um novo contrato com a FFBM (Fosun Fashion Brand Management) para liderar seu crescimento na região e com os consumidores chineses, que serão responsáveis ​​por quase metade do consumo global de artigos de luxo dentro de alguns anos.

No médio prazo, a participação da receita gerada pela Wolford na China deve ser comparável à dos mercados centrais dos Estados Unidos e Alemanha, que atualmente respondem por 20% e 15% das receitas, respectivamente. Apesar desses investimentos, a empresa espera gerar lucro operacional positivo novamente apenas no ano fiscal de 2020/21.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.