×
879
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Walmart Brasil vai abandonar o comércio eletrônico e focar em lojas físicas

Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 14 de mai de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A Walmart Brasil vai encerrar sua operação de comércio eletrônico e se concentrar em lojas físicas, convertendo hipermercados de baixo desempenho em lojas de atacado.


A medida deve abrir espaço para varejistas nacionais e internacionais, que atualmente estão se concentrando em explorar o ainda incipiente comércio eletrônico no Brasil. - Walmex


O atacado se tornou cada vez mais popular no Brasil, à medida que o país sai lentamente de uma recessão severa. “A empresa está trabalhando em uma nova estratégia omnichannel que será anunciada posteriormente”, afirmou o Walmart Brasil em comunicado na sexta-feira (10), sem dar mais detalhes. A notícia da decisão foi divulgada pela primeira vez pelo jornal Valor Econômico.

É provável que a iniciativa abra espaço para varejistas nacionais e internacionais que atualmente se concentram em explorar ainda o incipiente comércio eletrônico no Brasil. A decisão do Walmart limita anos de esforços que nunca decolaram e precede o muito aguardado lançamento do centro de atendimento da Amazon, que irá possibilitar a venda direta aos consumidores no Brasil.

Parte das dificuldades do Walmart estão ligadas à forte concorrência de players locais no segmento de e-commerce, dentre eles B2W, Via Varejo e Magazine Luiza. O Walmart lançou uma divisão de e-commerce no Brasil em 2011, vendendo diretamente para os consumidores. Mas, em 2017, o varejista interrompeu as vendas diretas, concentrando-se apenas na corrida como um marketplace para vendedores terceirizados, que havia sido lançado em 2015. O Walmart nunca revelou o quanto as vendas online contribuíram para sua receita no Brasil.

Em meados de 2018, a empresa de aquisições Advent International adquiriu uma participação de 80% na operação brasileira, desdobrando uma ampla reformulação. A divisão de comércio eletrônico já estava em declínio. Como parte da decisão de sair do e-commerce, a empresa demitiu 70 dos seus 90 funcionários que trabalham para a plataforma do mercado, com os 20 restantes dedicados a gerenciar os pedidos em andamento. 

A decisão do Walmart pode ser um boom para seus concorrentes. “A operação do Walmart (e-commerce) está encolhendo há algum tempo, mas estamos preparados para direcionar o tráfego de consumidores para o Carrefour”, disse a CEO da Carrefour eBusiness Brasil, Paula Cardoso, a jornalistas na sexta-feira, 10, durante uma teleconferência trimestral dos resultados.

Em um comunicado separado, o Walmart Brasil anunciou que planeja converter 10 hipermercados de baixo desempenho em lojas de atacado Maxxi Atacado até o final de 2020. O primeiro deles foi aberto em 9 de maio em Diadema, perto de São Paulo. A empresa também informou que outros 10 hipermercados serão convertidos em lojas do Sam's Club.

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.