×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
21 de mar. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Versace: Emmanuel Gintzburger é o novo CEO

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
21 de mar. de 2022

As mudanças na liderança das grandes marcas de luxo continuam. A transferência de Marco Gobetti da Burberry para a chefia da Salvatore Ferragamo provocou um verdadeiro terremoto na indústria, gerando nomeações em cascata, e o último movimento é a nomeação de Emmanuel Gintzburger como CEO da Versace.

​Emmanuel Gintzburger - Versace


Este último substitui Cedric Wilmotte, que era desde 17 de janeiro líder da marca italiana, substituindo por sua vez o gestor anterior da Versace, Jonathan Akeroyd, que partiu para a Burberry, para tomar o lugar de Marco Gobetti.
 
Acaso ou coincidência, Emmanuel Gintzburger irá, portanto, substituir Jonathan Akeroyd, assim como havia feito seis anos antes na Alexander McQueen, quando foi chamado em maio de 2016 para substituir o empresário britânico na direção da marca do grupo Kering. Gianfilippo Testa, da Gucci, substituirá Emmanuel Gintzburger no comando de Alexander McQueen a partir de maio.

Emmanuel Gintzburger tem quase 25 anos de experiência na indústria do luxo, iniciando a carreira em 1998 na Louis Vuitton, como responsável pelo marketing na Ásia-Pacífico baseado em Hong Kong. Quatro anos depois, transferiu-se para a Sephora, onde cuidou do varejo regional, antes de assumir a direção de marketing.

Em 2007, trocou a LVMH pela Lanvin, como diretor de varejo internacional. Em seguida, em 2009, ingressou na Kering, onde assumiu, na Saint Laurent, primeiramente o varejo na Europa, antes de ser promovido em 2011 ao cargo de diretor mundial de varejo e atacado. Em 2016, assumiu a gestão de Alexander McQueen, onde acelerou a expansão, transformando a marca em uma grande empresa de luxo, com um volume de negócios superior a 500 milhões de euros.
 
Agora, Emmanuel Gintzburger irá gerenciar uma empresa de uma escala totalmente diferente, uma vez que a Versace deverá atingir um faturamento de 1,7 bilhão de euros no consolidado do último ano fiscal. No terceiro trimestre de 2021, a marca viu as suas vendas saltarem 29%. Ou seja, as expectativas são altas e o novo CEO terá a delicada missão de continuar esse momento positivo, enquanto lança as bases para o crescimento futuro da empresa.
 
John D. Idol não parece ter dúvidas sobre as habilidades do novo CEO. "Ele tem um histórico comprovado na construção de marcas de luxo de moda globais. Acreditamos que a visão de Emmanuel para a Versace nos ajudará a alcançar nossas ambições para o futuro. A Versace já tem um forte impulso e a liderança de Emmanuel nos ajudará a acelerar ainda mais nossos planos e fortalecer nossa iniciativas estratégicas.", comentou Idol.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.