×
Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
18 de jan. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Vendas da Prada em 2021 se recuperam e atingem níveis acima do período pré-pandemia

Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
18 de jan. de 2022

As vendas do grupo italiano de moda Prada se recuperaram fortemente em 2021, uma vez que a demanda reprimida por bolsas e roupas de luxo ajudou a elevar a receita acima dos níveis pré-pandemia, informou a empresa na terça-feira (18).


Prada - Outono-Inverno 2022 - Moda Masculina - Milão - © PixelFormula


Em uma atualização de negócios não programada, a Prada disse que as vendas do grupo no ano passado aumentaram 41% a taxas de câmbio constantes, para 3,364 bilhões de euros (US$ 3,83 bilhões), um resultado 8% acima dos níveis de 2019.
 
O valor foi superior a uma estimativa de 3,28 bilhões de euros feita por um consenso de analistas citado pelo UBS e indica que a estratégia de reformulação, que visa levar a Prada para o mercado superior e aumentar sua participação nas vendas online, está dando resultados.

Em novembro do ano passado, a Prada estabeleceu uma meta de vendas de médio prazo de 4,5 bilhões de euros.
 
O grupo listado em Hong Kong, que não deveria divulgar os resultados do ano antes de março, observou que as vendas aceleraram especialmente no segundo semestre do ano passado graças à sua rede de varejo, que cresceu 27% em relação a 2020 e 21% em relação a 2019, incluindo o e-commerce.
 
Os lucros do núcleo também mostraram um "aumento significativo" no segundo semestre, graças à maior contribuição do canal varejo e à política de preços integral realizada pela empresa de moda.
 
“O grupo Prada tem as capacidades e recursos para se diferenciar e cumprir seus objetivos de crescimento no futuro”, declarou o CEO, Patrizio Bertelli, que em novembro anunciou que pode passar as rédeas do grupo para seu filho, Lorenzo Bertelli, dentro de três ou quatro anos.

© Thomson Reuters 2022 All rights reserved.