×
Por
Terra
Publicado em
26 de jan. de 2010
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Veja 8 desfiles da SPFW para ficar na memória

Por
Terra
Publicado em
26 de jan. de 2010

O circo da moda brasileira de inverno 2010 terminou. Foram 64 desfiles entre Rio e São Paulo que mostraram o caminho das pedras para a estação mais fria. Mas não quero falar de tendências, roupas, cores, tecidos agora. Quero falar de emoção e desfiles que tocam.


Desfile da Cavalera na Galeria do Rock - 24 de janeiro de 2010 Foto: Carlos - Zambrotti/AgNews


Nesta 28ª edição da São Paulo Fashion Week, alguns desfiles, mais do que moda, pegaram fundo nos nossos corações. Destaco alguns deles, para fazer a gente pensar que moda não é só uma coisa banal, mas um indústria que emprega, faz a economia do país crescer e que tem a capacidade de fechar o ciclo produtivo no Brasil.

Ou seja, da produção da fibra à venda ao consumidor final. E há ainda um trabalho para a expansão ao mercado externo. No meio de tudo isso, há um valor que não se conta e não se coloca em estatísticas. O valor das ideias e da arte, implicíto em cada roupa que se faz. Por isso, neste espaço, quero relembrar algumas apresentaçõess que vão ficar na memória dos fashionistas.

1) Cavalera, que apresentou suas roupas na Galeria do Rock, no centro velho de São Paulo, palco ideal para uma grife que começou roqueira, enveredou para outros caminhos e volta às origens.

2 e 3) Alexandre Herchcovitch (masculino e feminino) - A trajetória de Herchcovitch, desde quando vendia no Mercado Mundo Mix é excepcional. Do underground ao luxo desta edição, sempre fez encher os olhos dos fashionistas. As imagens tiradas do leste europeu para o feminino e as caveiras do masculino são
marcantes.

4) Huis Clos - Sem excessos, mas com sofisticação, a grife comandada por Clô Orosco trouxe para o inverno 2010 uma silhueta seca, meio anos 40, em cores que vão do off white ao preto, com direito a franjas e brilhos. Nada de make e só turbante na cabeça.

5) Ronaldo Fraga - Sempre com um quê a mais que roupa. Suas máscaras invertidas, assim como as roupas abotoadas atrás, mudavam o rumo da passarela. O bandoneon, a dançarina, a voz de Caetano e as luzes colocadas em pontos estratégicos mostram que por trás de um artista tem também um estilista.

6) Neon - Seu safári urbano e suas roupas-pássaros, ou com orelhas de elefante e o leão de madeira na pasarela. Um show e tanto. E tem roupas usáveis.

7) Lino Villaventura - Sempre dentro de sua habilidade de mexer com tecidos, aplicações e volumes. Suas asas, seus bordados, seus chapéus e a maquiagem vermelha. Ufa, um inverno e tanto.

8) Do Estilista -No último dia, o estilista Marcelo Sommer, com sua grife Do Estilista, brindou a plateia com um desfile sobre uma passarela de carvão. Seus amigos, estilistas ou não, modelos ou não, entravam com uma atitude séria e roupas escuras, como se tivessem sido salvas de um cataclisma. No fim, a modelo Luciana Curtis, grávida de quatro meses, entra com um vestido verde e fica no meio da passarela: a esperança da renovação da vida. Lindo e emocionante.



Rosângela Espinossi

Copyright © 2021 Terra. Todos os direitos reservados.