×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
25 de jan. de 2018
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Valentino: magnificência estagnada

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
25 de jan. de 2018

Uma alta costura clássica, muito clássica na Valentino, numa significativa mudança de direção por parte do designer Pierpaolo Piccioli.


Valentino - primavera 2018 Alta Costura - PixelFormula

 
Uma coleção majestosa, grandiosa até, com enormes volumes e vestidos imensos provavelmente mais adequados a uma viagem numa carruagem do que numa limousine.
 
“A transição é uma forma de contato: transfere conhecimento e valores através do tempo. A história da Alta Costura é a sua razão de ser nos dias de hoje”, disse Piccioli no programa do desfile.

E, verdade seja dita, fomos testemunhas de momentos de majestosa beleza. Dos robes-manteaux em gabardine rosa às blusas assimétricas em seda fúcsia, cortadas como botões de flor gigantes, passando pelos casacos fluídos em sarja, estampados com enormes padrões de margaridas ou tulipas.
 
Tudo acompanhado por chapéus incríveis, criados pelo irlandês Philip Treacy: grandes explosões de pétalas púrpura ou enormes turbantes de pasha com plumas, como medusas invertidas com elegância.
 
Foi um desfile especialmente longo – 68 looks que se sucederam lentamente, um efeito que foi acentuado pela música. Mais uma vez, sons clássicos da Alta Costura – nomeadamente excertos de Kiri Te Kanawa cantando Vissi D'arte, de Tosca. Na primeira fila, muitas personalidades, de Olivia Palermo à brasileira Izabel Goulart e mesmo alguns designers famosos.
 
“Encontrou-me em Paris! Adoro o Pierpaolo e a forma como ele cria, por isso é um grande prazer estar aqui”, disse Donatella Versace, com maquiagem de olhos esfumados e elegante no seu little black dress, sentada entre os fundadores da casa, Giancarlo Giammetti e Valentino Garavani. Este último vestido com um terno risca de giz cinza de corte impecável – feio pela Caraceni e não pela Valentino.
 
No meio de aplausos entusiasmados, Piccioli percorreu as seis salas do Hôtel Salomon de Rothschild para saudar o público com um sorriso brincalhão nos lábios.
 
Foi uma expressão pura da alta costura clássica, embora talvez parada no tempo. A experimentação, tal como a tradição, é a marca registrada da alta costura. Este desfile foi sem dúvida majestoso, mas no mundo da moda majestoso pode por vezes ser sinônimo de velho. E, quando falamos de roupa, “velho” não é um bom adjetivo.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.