×
750
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Trump furioso com Nordstrom por não vender mais a marca da sua filha Ivanka

Por
AFP
Publicado em
today 9 de fev de 2017
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

O presidente dos Estados Unidos criticou quarta-feira a decisão "injusta" da cadeia de lojas de luxo de parar de vender a linha de vestuários da sua filha mais velha, Ivanka.

Ivanka Trump - Ivanka Trump Fine Jewelry


"A minha filha Ivanka foi tratada de maneira tão injusta pela Nordstrom. Ela é uma pessoa incrível que sempre me impulsiona a fazer a escolha certa. Terrível!", declarou o presidente no Twitter, alguns minutos somente depois de ter pronunciado um discurso sobre a segurança interna diante da associação dos xerifes americanos.
 
Desde sua eleição em novembro, o presidente Trump atacou várias multinacionais (General Motors, Ford...) por levarem suas produções ao México, mas é a primeira vez que ele trata de um assunto diretamente ligado às empresas geridas pelo seu clã familiar.

Alvo de apelos a boicotes, a Nordstrom havia anunciado na semana passada que não venderia mais em suas lojas as bolsas, calçados e vestuários da marca Ivanka Trump.
 
Contatada pela AFP, uma porta-voz do grupo garantiu então ter tomado esta decisão sobre o único critério do nível de vendas. "Baseando-nos no desempenho da marca, decidimos não comprar (produtos Ivanka Trump) esta temporada", declarou esta porta-voz em um correio eletrônico.
 
"Ao longo do ano passado, especialmente ao longo do segundo semestre de 2016, as vendas da marca declinaram regularmente ao ponto que não fazia mais sentido economicamente continuar por enquanto", foi mais longe terça-feira uma porta-voz em outro correio eletrônico à AFP.
 
No entanto, a Casa Branca defendeu outra leitura. "Há claramente muitas tentativas de manchar o nome (de Ivanka Trump) em razão de medidas precisas tomadas por seu pai", acusou o porta-voz da presidência, Sean Spicer, durante seu briefing diário, julgando a decisão da Nordstrom "inaceitável".
 
O grupo americano, que dispõe de cerca de 350 lojas nos Estados Unidos e no Canadá, figurava em especial na lista das empresas a serem boicotadas estabelecida pelo site 'Grab Your Wallet', porque ela vendia artigos Ivanka Trump, ao lado de outras grandes lojas como Macy's ou Bloomingdale's.
 
Muitas empresas, dentre as quais Uber, New Balance, Pepsi ou Budweiser, recentemente foram objetos de apelos a boicote lançados por populares pró ou anti-Trump, refletindo a extrema divisão da sociedade americana desde a última campanha presidencial.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.