×
140
Fashion Jobs
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
4 de out de 2017
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Transparências plásticas na Chanel

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
4 de out de 2017

Justamente quando se pensava que a Chanel poderia ficar sem ideias sobre como organizar desfiles incríveis, Karl Lagerfeld consegue surpreender com o seu mais recente cenário e uma coleção notável.


Chanel


Inspirado pelo incrível Gorges du Verdon, onde o rio corre entre os desfiladeiros Verdon, no sul de França, Lagerfeld e a Chanel construíram uma imponente série de cascatas dentro do Grand Palais. De uma altura de 30 metros, a água caia em direção a um rio, em cujas margens o elenco de modelos desfilou sobre uma passarela de madeira em direção a uma floresta selvagem. Nem o cineasta americano Cecil B. DeMille poderia pedir mais.
 
No entanto, o estilista justapôs natureza bruta com uma coleção cujo material-chave era plástico transparente. Flexível, high-tech e sexy, o plástico foi utilizado em mini-capas, trench coats, botas até ao joelho, luvas, chapéus de guarda florestal, pulseiras alongadas e proteções impermeáveis para bolsas. “Se soubessem o que cobramos por algumas destas bolsas, perceberiam por que precisam de proteção!”, brincou Lagerfeld,  no backstage.

Debaixo de todo o plástico estavam algumas roupas extremamente chics: vestidos de cocktail em xadrez rosa e azul, tops em tweed deslavados, casacos com franjas, vestidos sem mangas com ombros futuristas, casacos com golas altíssimas ou cortados com impressionante tartan de lã mohair e com cintos incrustados com cristais.  Todos acompanhados por botas de plástico transparente, com o contraste preto na frente, clássico da Chanel, e o logotipo com duplo C no salto.

“Porquê plástico? Não faço perguntas. Se fosse pretensioso diria que estou apenas tentando dar respostas. Sonho as ideias e vocês escrevem sobre elas. Não gosto de explicar ou filosofar sobre moda. Não vi o desfile, vocês viram. Não sou o Spinoza”, disse o estilista brincando com um editor, referindo-se ao filósofo holandês.
 
O plástico, que envolvia o convite, o programa suntuoso, e todos os outros materiais foram personalizados para a Chanel, aumentando a ideia de exclusividade.
 
“O plástico é um material lindo. É algo que não existia há 40 anos e a qualidade é muito boa. Afinal, é melhor do que os aborrecidos tecidos antigos franceses”, disse Lagerfeld, após apresentar alguns casacos bouclé em branco gelo e vestidos de princesa da neve com acabamentos em plástico.
 
O estilista revelou que alterou o convite há uma semana, depois de acordar de um sonho e desenhar a imagem da mulher Chanel dos dias de hoje, com grandes brincos em forma de gota e um chapéu cloche.
 
“As melhores ideias aparecem-me nos sonhos. Devo ser sonâmbulo”, disse o couturier alemão no backstage, sob os andaimes maciços que sustentavam a incrível cascata.
 
“Não há vida sem água, para mim uma cascata é muito, muito, muito saudável”, acrescentou Lagerfeld. Mesmo os deuses parecem ter abençoado este desfile, visto que a meio do evento apareceu repentinamente um arco-íris no céu, sobre o Grand Palais.
 
Falando de política, Lagerfeld revelou que o seu cartoon mais recente para a sua página no suplemento do jornal diário alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung foi um comentário à chanceler Angela Merkel.

“Eu estava tão furioso por a Srª Merkel ter, indiretamente, trazido de volta os nazis, que fiz um esboço muito maldoso. Se ela não tivesse dito que acolhia um milhão de refugiados, não teria perdido tantos votos. Antes, não havia nazis no nosso parlamento, agora há quase 90. Muito obrigado!”, reclamou o estilista.
 
“Os franceses, que inventaram os direitos humanos, acolheram 30 mil pessoas, mas ela [Merkel] acolheu um milhão… Como ficou com uma imagem muito negativa devido à questão grega, ela queria ficar com uma mais angelical no que dizia respeito a este problema”, disse Lagerfeld referindo-se à eleição de deputados do partido de extrema direita AfD, que conquistou 13% dos votos populares nas eleições da passada semana, enquanto mostrava o esboço que será publicado no final deste mês.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.