×
Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
2 de set. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Tiffany supera estimativas para o segundo trimestre e caminha para a recuperação

Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
2 de set. de 2020

A Tiffany, cuja aquisição pela LVMH foi adiada até novembro, anunciou que registrou uma receita trimestral acima do esperado graças à recuperação das vendas alcançada pela normalização do consumo na China continental e ao crescimento das vendas online.


Tiffany mostra sinais de recuperação - Reuters


"A melhora na atividade na China continental, bem como a aceleração global do e-commerce no segundo trimestre, foram as forças motrizes por trás da lucratividade", disse o CEO Alessandro Bogliolo em um comunicado.

"As vendas na China continental começaram a melhorar em abril e aceleraram em maio, mês em que aumentaram cerca de 90%", informou a empresa americana, acrescentando ter fluxo de caixa suficiente para cumprir seus compromissos de dívida.

Excluindo itens excepcionais, o grupo obteve um lucro líquido de 32 centavos por ação, acima das estimativas de 19 centavos dos analistas, segundo dados IBES da Refinitiv. A Tiffany também confirmou seu desejo de adiar para 24 de novembro o prazo para a conclusão de sua compra de 16,2 bilhões de dólares pela LVMH.

“A fusão é a única coisa que importa ... A retomada das vendas na China, bem como a melhora no resto do mundo (RDM) e o cumprimento de seus compromissos indicam que as coisas estão caminhando na direção certa para o acordo com LVMH”, resumiu Randal Konik, analista da Jefferies.

Devido à crise de saúde, as vendas do grupo caíram para 747,1 milhões de dólares no segundo trimestre encerrado em 31 de julho, em comparação com 1,05 bilhão de dólares no mesmo período do ano passado.  

© Thomson Reuters 2021 Todos os direitos reservados.