Tiffany: resultados superam estimativas e levam a aumento da previsão de lucro

Os resultados trimestrais da Tiffany & Co superaram as estimativas de Wall Street na terça-feira devido à forte demanda pelas suas joias nas Américas e na China, levando a varejista de luxo a aumentar a sua previsão de lucro para o ano todo.


Tiffany

As ações da Tiffany subiram 4,2% para 135,15 dólares nas negociações de pré-mercado após a empresa ter revelado que esperava lucros anuais por ação entre 4,65 e 4,80 dólares, acima dos 4,50 a 4,70 dólares.
 
Sob o comando do presidente executivo Alessandro Bogliolo, a Tiffany tem vindo a colher os benefícios de uma mudança de foco para a clientela mais jovem e mais sensível aos preços, vendendo joias de moda menos caras e introduzindo itens de uso diário de elevada qualidade, como palhinhas em ouro (por 350 dólares) e clipes de papel em ouro (por 1500 dólares).
 
A empresa também revelou recentemente a Paper Flowers, a sua nova coleção de joias feitas de platina e diamantes.
 
As vendas líquidas nas Américas, que representam quase metade das vendas totais da empresa, aumentaram 8%, para 475 milhões de dólares. As vendas na Ásia-Pacífico cresceram 28%.

Tradicionalmente, a empresa beneficia das despesas de turistas de visita aos Estados Unidos, com a sua flagship em Nova Iorque a gerar quase 10% das vendas anuais. A empresa sublinhou, porém, que desta vez os ganhos nessas duas regiões principais foram impulsionados pelos gastos dos habitantes locais.
 
Depois de anos de vendas em declínio, principalmente devido à intensa concorrência de players online como a Blue Nile, a Tiffany tem investido significativamente para desenvolver o seu site e impulsionar o seu marketing e apresentações de loja.
 
Apesar dos custos adicionais gerados por esses investimentos, as margens brutas da empresa aumentaram para 64%, comparativamente com 62,5% um ano antes.

"A Tiffany continua com a sua estratégia de recuperação, registrando um forte crescimento na receita", disse Simeon Siegel, analista da Instinet. "A empresa tem sido explícita nas suas intenções de reinvestir no negócio, o que deve ser positivo."

As vendas nas mesmas lojas da Tiffany subiram 7%, excluindo o impacto das flutuações da taxa de câmbio, acima das expectativas de um aumento de 5,73%, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S.

O lucro líquido da empresa aumentou 26% para 144,7 milhões de dólares no segundo trimestre, encerrado em 31 de julho.

As vendas líquidas aumentaram 12,6% para 1,08 bilhões de dólares, superando a estimativa média dos analistas de 1,04 bilhões de dólares.

Excluindo itens únicos, a empresa faturou 1,17 dólares por ação, enquanto Wall Street esperava 1,01 dólares por ação.

Traduzido por Estela Ataíde

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.

JoalhariaNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER