×
680
Fashion Jobs

Temporada de Nova Iorque marcada pela estética do Brooklyn

Publicado em
today 13 de set de 2019
Tempo de leitura
access_time 4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

No passado, todas as estradas levavam a Roma, mas nesta Semana da Moda de Nova Iorque muitos caminhos da moda convergiram no Brooklyn. Um enorme acampamento no outro lado do East River, onde estiveram em destaque algumas das tendências mais importantes da moda americana.


Rihanna - Getty Images for Savage X Fenty Show Presented by Amazon Prime Video


Quase meia dúzia de grandes desfiles foram apresentados no Brooklyn, culminando na terça-feira com a Savage x Fenty, um espetáculo no cruzamento entre a variedades e desfile de passarela para celebridades de hip hop, que redefiniu as regras da moda com bailarinas de salto alto, corpos de todos os tamanhos, modelos ultra famosas e, principalmente, Rihanna.
 
Embora tenha nascido em Barbados, o seu desfile nos subúrbios foi o triunfo de uma nova estética made in Brooklyn. A mistura inovadora de cortes chiques, peças esportivas street-style, logos esportivos e um toque de estilo rock star. E um espírito de boas-vindas e abertura para uma temporada na qual os conceitos de inclusão e otimismo que deram que falar.

O mesmo look esteve em destaque na noite anterior, no 30.º aniversário da DKNY, numa festa no St Ann's Warehouse em DUMBO, a sigla para Down Under Manhattan and Brooklyn Bridge. Neste bairro próspero, muitos edifícios industriais foram transformados em apartamentos caros, hotéis da moda e até um entreposto do clube Soho House.

Mais uma vez, uma mistura de denim azul escuro cuidadosamente passado, em cortes sofisticados, e emblemas de hip hop, entre performances dos DJs Martinez Brothers e Halsey, a cantora que conquistou este ano uma série primeiros lugares nas tabelas.
 
"Isto me faz lembrar o momento em que apresentei o nosso primeiro evento em Londres, há mais de vinte anos. É ótimo que a marca esteja sempre florescendo", disse Donna Karan sorrindo, enquanto dezenas de jovens faziam fila para a cumprimentar.


Tory Burch - primavera-verão 2020 - Moda Feminina - Nova Iorque - © PixelFormula


Outro grande desfile realizou-se no Brooklyn, cujo nome histórico era King's County: a apresentação de Tory Burch no Brooklyn Museum. A sua inspiração? Uma princesa: Diana Spencer. Uma coleção na encruzilhada do estilo boêmio chique B.C.B.G. de Tory Burch e a feminilidade de rosa inglesa de Lady Di.

Entre os outros que fizeram a travessia das gigantescas pontes de Nova Iorque estão Phillip Lim e Brandon Maxwell. E a ação fora de Manhattan continuou até à última manhã com Michael Kors, cujos muitos convidados chegaram em táxis marítimos ultra rápidos. Rei do sportswear americano, Michael Kors brincou com todo o tipo de referências: novamente, uma mistura de punk elegante, estilo naval e ecletismo formal.

Nos últimos anos, a temporada nova-iorquina se concentrou no oeste de Manhattan: de Chelsea a Tribeca, e em particular nos Spring Studios, um espaço de eventos personalizado, onde dezenas de criadores emergentes apresentam os seus desfiles e demonstrações. O local mais cool é no Sunken Lounge, um espaço ultra chique onde pudemos descobrir uma formidável coleção de Victor Glemaud. Ele mostrou malhas fabulosas, divertidas e elegantes.


Coleção primavera-verão 2020 Victor Glemaud - Instagram


Um grupo de editores de moda da Vogue, Elle e mais ou menos uma dúzia de títulos indie elogiaram o trabalho de Victor Glemaud, cujos estampados gráficos ousados e vestidos felinos em tons tropicais capturaram perfeitamente o apelo à auto-confiança em Nova Iorque.
 
Outra marca que causou uma forte impressão: Zimmermann. A marca de Sydney tinha o formidável ator australiano Joel Edgerton na primeira fila, e a mais recente declinação do estilo vitoriano romântico e sexy da marca na passarela, no coração de Manhattan.

Tom Ford escolheu o met...com uma estação de metrô abandonada no moderna bairro de Bowery. Outros designers preferiram ficar na norte da cidade.


Tommy Hilfiger - primavera-verão 2020 - Moda Feminina - © PixelFormula


Tommy Hilfiger apresentou o seu mais recente desfile em colaboração - o segundo com Zendaya - no Apollo Theatre, em Harlem. Uma vibrante homenagem retro às estrelas do soul e do funk dos anos 1960 e uma boa síntese de uma grande tendência nos Estados Unidos: repensar a moda de uma época com materiais modernos de qualidade.

Surpreendentemente, foi também o 11 de setembro que dominou a semana, embora o último dia da temporada não tenha marcado o 20.º aniversário deste trágico evento, mas o 18.º. Enquanto a imprensa local estava repleta de histórias sobre os planos do governo Trump de fechar as fronteiras dos Estados Unidos a todos os refugiados, apelos ao otimismo, à abertura e à inclusão foram particularmente visíveis em muitos criadores nova-iorquinos, muitos dos quais nascidos fora dos Estados Unidos. Stuart Vevers da Coach, Mark Howard Thomas pela Helmut Lang, Sies Marjan, Prabal Gurung ou Rihanna, para citar apenas cinco.
 
E é verdade que sempre que se atravessa o East River para voltar do Brooklyn, é possível admirar a vista da Estátua da Liberdade, recebendo os imigrantes nas margens da baía de Nova Iorque. Assim como tantos destes desfiles de setembro.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.