Tapestry, proprietária da Coach, reduz previsões e vê ações caírem

Após publicar resultados dececionantes durante a época festiva e uma queda nas vendas das carteiras Kate Spade, a Tapestry Inc baixou na quinta-feira as suas previsões de lucros para o ano inteiro, justificando-se com o declínio dos gastos turísticos e a desaceleração na economia mundial.



As ações da empresa de moda nova-iorquina caíram 12% para 34,53 dólares na pré-abertura após esta ter anunciado que o seu lucro líquido ajustado por ação para o ano estará agora entre 2,55 e 2,60 dólares, abaixo da anterior orientação entre 2,75 e 2,80 dólares por ação.
 
As vendas da Coach, cujas carteiras e acessórios contribuem para cerca de 71% do negócio da empresa, aumentaram quase 2% no trimestre, para 1,25 bilhões de dólares. No entanto, as vendas da Kate Spade, comprada em 2017, caíram 1,6% para 428 milhões de dólares.

No segundo trimestre, encerrado a 29 de dezembro, a empresa reportou ganhos de 1,07 dólares por ação, excluindo itens, o que está abaixo das estimativas dos analistas de 1,11 dólares por ação.
 
"Tendo em conta os resultados do nosso segundo trimestre e um contexto internacional incerto, revimos a nossa previsão para o ano", disse Victor Luis, CEO da Tapestry.

A empresa anunciou um aumento no lucro líquido, que atingiu os 254,8 milhões de dólares, ou 88 cêntimos por ação, contra 63,2 milhões de dólares, ou 22 cêntimos por ação, no ano anterior.

As vendas líquidas subiram de 1,79 bilhões para 1,80 bilhões de dólares, mas os resultados não atingiram a estimativa média dos analistas, de 1,86 bilhões, segundo dados IBES da Refinitiv.

Traduzido por Estela Ataíde

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.

Luxo - AcessóriosNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER