×
Publicado em
5 de set. de 2016
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Super e hipermercados são maioria entre grandes redes do país

Publicado em
5 de set. de 2016

O setor de Super e Hipermercados do País é a cereja do bolo do varejo brasileiro. É nele que estão as maiores varejistas do País e também as mais sólidas. Do total das 300 maiores redes do Brasil, o segmento concentra 145 empresas, segundo o Ranking NOVAREJO Brasileiro, única publicação do País que analisa os segmentos mais relevantes do setor.

Veja as 20 maiores redes do segmento, segundo o Ranking NOVAREO Brasileiro.

Ranking NOVAREJO Brasileiro 2016


Segundo o estudo, realizado pelo Centro de Inteligência Padrão – CIP, em parceria com a Serasa Experian e o Insper, o segmento conseguiu números  positivos no ano passado, como um crescimento de 10,6% no faturamento.
Apesar desses números, porém, o segmento sentiu a crise econômica e o peso da inflação. Por causa dela, as redes de super e hipermercados apresentaram queda real de 3,25% em 2015. No ano passado, o segmento encerrou com um faturamento total de R$ 315,8 bilhões e 84,5 mil lojas.

Mesmo diante desses resultados, as companhias não deixaram de investir: ao todo, foram R$ 3,9 bilhões em investimentos – valor 60% maior que o previsto no início do ano passado. O principal foco de investimentos foi a abertura de lojas, que foi 4,8% maior no ano passado.

Nesse escopo, o principal foco das grandes marcas é a operação mais enxuta, de vizinhança. Em busca de maior rentabilidade, as redes criaram novas bandeiras para entrar em pontos menores, em bairros residenciais, como tem feito o GPA e o Carrefour. Outro foco dos investimentos das redes é a reestruturação das unidades existentes.

Mesmo com novas lojas, as empresas conseguiram aumentar em 10,8% a produtividade por funcionário e com a expansão, a rentabilidade por loja aumentou 7,2%. Quem se destaque neste indicador é o Grupo Zaffari & Bourbon, que tem a maior rentabilidade por loja do segmento e rentabilidade acima da média.

A companhia é uma das poucas que seguem com a estratégia de abrir grandes áreas de venda – a menor loja da companhia tem cerca de 900 metros quadrados e o grupo inaugurou recentemente uma operação tradicional de 4 mil metros quadrados em São Paulo.

Já o Dia% pe a rede com maior produtividade por funcionário, por conta do menor quadro. A rede também é a que apresentou a menor rentabilidade por loja.
Embora forte, o segmento de Super e Hipermercados ainda é extremamente concentrado: 56,3% das lojas estão na região Sudeste, seguida pela região Sul (23,8%), Nordeste (11,2%), Centro-Oeste (4,8%) e Norte (3,9%).

Para este ano, a projeção é de queda real de 1,8% no faturamento das redes do segmento e uma redução no ritmo de investimentos, que devem somar R$ 3,2 bilhões.

Fonte: Portal NOVAREJO

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.