×
89
Fashion Jobs
CAMICADO
Product Owner - E-Commerce - Aplicativo App Mobile - Camicado
Efetivo - CLT · São Paulo
CAMICADO
Product Owner - Operações de E-Commerce - Site/ App - Camicado
Efetivo - CLT · São Paulo
CAMICADO
Product Owner - E-Commerce - Site - Camicado
Efetivo - CLT · São Paulo
CAMICADO
Product Owner - E-Commerce - Omnichannel - Camicado
Efetivo - CLT · São Paulo
VIVARA
Aprendiz Comercial - Shopping Cidade de São Paulo
Efetivo - CLT · São Paulo
VIVARA
Aprendiz Comercial - Center Shopping Uberlândia
Efetivo - CLT · Uberlândia
VIVARA
Aprendiz Comercial - Shopping Del Rey
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
VIVARA
Aprendiz Comercial - Shopping Uberaba
Efetivo - CLT · Uberaba
AMARO
Compliance Analyst
Efetivo - CLT · SÃO PAULO
LA LUNA
Assistente de Atendimento
Efetivo - CLT · RIO DE JANEIRO
LA LUNA
Operador de Caixa
Efetivo - CLT · RIO DE JANEIRO
LA LUNA
Auxiliar de Estoque
Efetivo - CLT · RIO DE JANEIRO
LA LUNA
Conferente de Mercadoria (E-Commerce)
Efetivo - CLT · RIO DE JANEIRO
AMARO
Banco de Talentos - Comunidade Negra
Efetivo - CLT · São Paulo
AMARO
Android Developer
Efetivo - CLT · São Paulo
AMARO
Banco de Talentos - Mulheres em Tecnologia
Efetivo - CLT · São Paulo
AMARO
Ios Mobile Developer
Efetivo - CLT · São Paulo
YOUCOM
Gerente de Loja Especializada Youcom
Efetivo - CLT · São Leopoldo
YOUCOM
Consultor de Vendas - Youcom
Efetivo - CLT · Ponta Grossa
YOUCOM
Consultor de Vendas - Youcom
Efetivo - CLT · Blumenau
YOUCOM
Consultor de Vendas Senior Youcom
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
CAMICADO
Analista de E-Commerce - B2B Camicado
Efetivo - CLT · São Paulo

Stella McCartney é forçada a se reestruturar

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
22 de jul de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Stella McCartney viu sua situação se deteriorar com a pandemia do Covid-19, e se viu forçada a adotar um plano de reestruturação. Segundo informações da revista americana WWD - que teve acesso à um comunicado interno escrito pelo CEO Gabriele Maggio - como parte desse plano, a marca apoiada pelo grupo LVMH, prevê demissões, cortes salariais e fechamento de lojas.
 

Stella McCartney em seu último desfile, em março. - © PixelFormula


A marca sustentável, dirigida por sua fundadora e designer homônima, já vinha enfrentando dificuldades. Após sua criação em 2001 por meio de uma joint-venture com o grupo Kering, Stella McCartney recuperou o controle de sua marca no início de 2018 comprando suas ações.
 
Esse investimento, somado aos custos adicionais incorridos nessa transação, que a privaram do apoio logístico da Kering, pesaram nos resultados da empresa. No final de 2018, a marca registrou um prejuízo operacional de 11,45 milhões de euros, enquanto suas vendas permaneceram estáveis ​​em 48,8 milhões de euros. Essa situação levou Stella McCartney a se aproximar da LVMH, que em julho de 2019 adquiriu uma participação minoritária na empresa.

Com o fechamento das lojas durante os meses de contenção e a atual recuperação lenta, a marca precisou considerar uma redução acentuada nos custos. De acordo com o documento citado pela WWD, alguns funcionários foram solicitados a fazer cortes nos salários "por um período prolongado", enquanto a designer renunciou integralmente a seus ganhos durante a pandemia.
 
Além disso, a rede de vendas, composta por cerca de cinquenta lojas, será reduzida com a conversão de determinadas lojas em franquias e parcerias com distribuidores atacadistas. A empresa também está considerando reduzir sua equipe, embora o CEO Gabriele Maggio tenha dito no início desta semana que "não foi tomada nenhuma decisão referente à demissões".
 

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.