×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
27 de ago. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Shiseido vende três marcas à Advent International

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
27 de ago. de 2021

Buxom, BareMinerals e Laura Mercier trocam de proprietário. O grupo japonês Shiseido anunciando a venda das marcas por 700 milhões de dólares para AI Beauty Holding Limited, formada pela empresa Advent International. A transação representará uma receita total de cerca de 700 milhões de dólares para a Shiseido Americas.


BareMinerals


AI Beauty Holding é liderada por Pascal Houdayer, que ocupa a sua direção geral e conta com 30 anos de experiência no setor da beleza. Após ter começado a sua carreira na L'Oréal, Houdayer trabalhou durante 18 anos na Procter & Gamble, onde gerenciou a atividade no Maghreb, antes de ingressar na Henkel, onde se tornou vice-presidente de Beleza e do conselho de administração.
 
Tricia Glynn, diretora-geral da Advent, declarou: "Acreditamos firmemente nas marcas BareMinerals, Buxom e Laura Mercier. São líderes indiscutíveis em beleza de prestígio e marcas amplamente reconhecidas pela sua qualidade, autenticidade e inovação, com produtos diferenciados e clientes fiéis. Estamos muito satisfeitos por nos associarmos a Pascal como CEO da nova empresa para acelerar o crescimento destas marcas, continuando a desenvolver produtos inovadores, expandindo para novas categorias e geografias e melhorando o engajamento digital com os clientes."

Lançada em 1995, a BareMinerals posicionou-se nos pós cosméticos à base de minerais, tendo sido adquirida pela Shiseido em 2010. A Laura Mercier foi lançada em 1996, posicionando-se em cremes e produtos de maquiagem para um rosto "impecável", e foi comprada pelo grupo japonês em 2016. A mais nova das três marcas, a Buxom, foi lançada em 2007 propondo uma ampla gama de cores. A marca ingressou no universo Shiseido em 2010.


Laura Mercier


A Shiseido registrou uma queda de 18,6% nas vendas em 2020, um exercício fortemente afetado pela pandemia, especialmente no seu mercado interno. No primeiro semestre de 2021, o seu prejuízo líquido foi de 17,3 bilhões de ienes (133,3 milhões de euros), inferior ao do primeiro semestre de 2020 (-21,4 bilhões de ienes). O resultado líquido deteriorou-se consideravelmente no período abril-junho, após uma pequena perda de 1,5 bilhão de euros no primeiro trimestre, uma surpresa para os analistas.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.