Shiseido registra aumento de 16% no lucro líquido no primeiro trimestre

A empresa japonesa de cosméticos, Shiseido, informou na terça-feira (14) que registrou um aumento de 16% no lucro líquido no primeiro trimestre, impulsionado pelas boas vendas no Japão e na China. Com o bom resultado, a companhia confirmou suas previsões anuais.


A Shiseido foi fundada em 1872 no Japão. - Shiseido

No período de janeiro a março de 2019, o lucro líquido da companhia de beleza foi de 33,5 bilhões de ienes (268 milhões de euros), com um faturamento de 273,6 bilhões de ienes (+3,7%). Por outro lado, seu lucro operacional caiu 17,4%, para 38,9 bilhões de ienes, devido a "um aumento nos gastos com marketing e pesquisa e desenvolvimento", disse a empresa em um comunicado.

A Shiseido, que é proprietária de várias marcas de cosméticos de luxo (Shiseido, Clé de Peau Beauté, NARS, Laura Mercier, Dolce & Gabbana), teve uma "demanda sólida" no Japão, apoiada pela fluxo contínuo de turistas da Ásia. No entanto, o grupo lamentou a perda de negócios devido ao "esgotamento de estoque de seu creme de rugas Revital e outros produtos".

Cerca de 42% das vendas da Shiseido são feitas no Japão, seu principal mercado à frente da China (19%), onde registrou aumento de 15% nas vendas, graças ao comércio eletrônico. A situação foi mais complicada na região das Américas (que representa 10% de sua receita), onde a marca de maquiagem bareMinerals está se reorganizando, com "fechamentos de lojas e outras reformas estruturais". As lojas duty-free também registraram crescimento de receita.

Com este primeiro trimestre em linha com as expectativas, a Shiseido reafirmou suas previsões otimistas para 2019: sua receita devem aumentar 7%, para 1,172 bilhão de ienes (9,3 bilhões de euros), e seu lucro líquido deve crescer 23% para 75,5 bilhões de ienes, enquanto seu ganho operacional deve subir 11% para 120 bilhões de ienes.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

CosméticaEstéticaBem-estarBeleza - DiversosNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER