×
1 084
Fashion Jobs
GRUPO BOTICARIO
Analista de CRM ii – Venda Direta (Afirmativa Para Talentos Diversos)
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Analista fp&a i - Gestão de Verbas Comerciais
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Coordenador(a) de Compras de Eventos
Efetivo · São José dos Pinhais
RENNER
Product Owner (po) - Omnichannel
Efetivo · São Paulo
FARFETCH
Product Manager (Ecommerce Experience) - Farfetch Platform Solutions
Efetivo · SÃO PAULO
GRUPO BOTICARIO
Especialista ii Treinamento Comercial Venda Direta - Franschising
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Compradora de Projetos Júnior - Híbrida - PR
Efetivo · São José dos Pinhais
MARISOL
Analista de CRM - São Paulo
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Gerente sr Comercial Lojas Boti (Nordeste)
Efetivo · Brasília
RENNER
Content & Performance Manager
Efetivo · São Paulo
VIVARA
Analista de Compliance Senior
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de CRM
Efetivo · Jaraguá do Sul
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace – Onboarding de Sellers
Efetivo · São Paulo
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace - Atendimento e Pós-Vendas
Efetivo · São Paulo
RENNER
Coordenador de CRM
Efetivo · São Paulo
GRUPO LUNELLI
Inspetor(a) de Qualidade - Externo
Efetivo · Guaramirim
VIVARA
Vendedora –Shopping Cidade São Paulo – São Paulo/ sp
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de Sistemas - E-Commerce
Efetivo · Jaraguá do Sul
CAEDU
Operador de Loja
Efetivo · Campinas
RENNER
Coordenador (a) de Operações - Central de Atendimento Meu Cartão
Efetivo · Porto Alegre
RENNER
Assistente de Loja Intermitente
Efetivo · Porto Alegre
RENNER
Analista de Planejamento e Controle | Supply Chain
Efetivo · Porto Alegre
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
19 de out. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Shein lança plataforma de revenda de produtos

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
19 de out. de 2022

A varejista online chinesa, fundada em 2008 por Chris Xu e especialista em moda de preços baixos, anunciou na segunda-feira, 17 de outubro, o lançamento da sua plataforma de troca e revenda de produtos em segunda mão entre particulares, Shein Exchange. A versão piloto, já disponível no mercado norte-americano, está acessível a partir do aplicativo da marca. Esta adição ao catálogo da marca permite que os uusários comprem produtos novos e artigos em segunda mão ao mesmo tempo, sem passar por plataformas de terceiros, como a lituana Vinted. Com isso, a Shein mostra o desejo de sensibilizar os seus jovens consumidores para o desperdício de têxteis, uma atitude controversa e ambígua. Da Greenpeace ao Public Eye, muitas ONGs denunciam as práticas desta gigante da moda efêmera ou ultrafast-fashion.


A gigante chinesa da moda a preços muito baixos lança a sua plataforma de troca e revenda de produtos em segunda mão entre particulares, batizada Shein Exchange - Shein


Adam Whinston, líder do departamento de Responsabilidade Social Corporativa (RSC), disse: “Na Shein, acreditamos que é nossa responsabilidade construir um futuro de moda justo para todos, enquanto aceleramos soluções para reduzir o desperdício têxtil. Ao aproveitarmos o alcance e a influência da nossa crescente comunidade, acreditamos que as compras em segunda mão podem tornar-se o novo normal na nossa indústria."
 
Esta vontade de entrar no mercado da economia circular foi recebida com sentimentos contraditórios por alguns. No Reino Unido, um documentário transmitido no dia deste anúncio pelo Channel 4 destacou os salários muito baixos dos seus trabalhadores e as más condições de trabalho nas suas fábricas. Estes últimos não têm salário fixo e alguns deles recebem apenas 0,27 yuan (4 centavos de euro) por peça e, em caso de erros, são feitas deduções salariais. A investigação intitulada Untold: Inside the Shein Machine destaca ainda que estes trabalhadores são obrigados a trabalhar 18 horas por dia (o que está em contradição com a lei chinesa, que estabelece o limite de 40 horas por semana), e têm apenas um dia de folga por mês.

Greenwashing e economia circular


 
Após a exibição deste documentário na segunda-feira, 17 de outubro, um porta-voz (não identificado) da marca disse ao jornal londrino City AM: "Estamos extremamente preocupados com as alegações feitas pelo Channel 4, que violam o código de conduta aceito por todos os fornecedores da Shein. Qualquer violação deste código é tratada prontamente e encerraremos as parcerias que não correspondam aos nossos padrões."

Regularmente controversa pelo desrespeito pelos direitos humanos dos seus funcionários nas suas fábricas na China, a marca  low cost - originalmente chamada Sheinside e rebatizada Shein em 2015 - está presente em 220 países. Com os seus preços muito atrativos e a sua presença publicitária direcionada para o digital, esta plataforma é muito popular entre a Geração Z. Esta investigação do canal britânico Channel 4, filmada com uma câmara escondida, denuncia assim a super exploração dos seus trabalhadores e o greenwashing operado pela marca para conseguir uma melhor imagem junto do seu público jovem.

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.