×
Publicado em
13 de jan de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Setor calçadista brasileiro deve crescer 19% em 2021

Publicado em
13 de jan de 2021

Segundo dados da Abicalçados, após um ano de 2020 difícil marcado pela pandemia de Covid-19, que levou à queda de cerca de 25% na produção da industria calçadista brasileira, com cerca de 250 milhões de pares a menos - retomando ao patamar produtivo de 16 anos - e provocou a perda de aproximadamente 20 mil postos de trabalho, para 2021 é estimada uma leve recuperação, com crescimento de 19%, abaixo do registrado em 2019.



“Existe uma tendência de recuperação verificada nos últimos meses de 2020. Para o início de 2021, a tendência é essa, ainda mais levando em consideração a vacinação e a normalização do comércio físico, do qual ainda somos dependentes”, diz Haroldo Ferreira, presidente-executivo da Abicalçados, que estima um retorno ao níveis de 2019 apenas em 2022. 

O executivo destaca que as medidas de estímulos adotadas pelo Governo Federal limitaram os danos, como a MP 936, que preservou empregos através da flexibilização das jornadas e suspensões temporárias de contratos de trabalho, e da desoneração da folha de pagamentos, permitindo que as empresas continuassem substituindo o pagamento de 20% sobre a folha de salários por 1,5% da receita bruta, excluindo as exportações. 

Ferreira ainda ressalta que para seguir no caminho da recuperação, o governo precisa "desburocratizar e diminuir a carga tributária para termos o mínimo de competitividade para concorrer com os players internacionais, tanto aqui quanto além-fronteiras”. 

Além disso, em março vence a sobretaxa aplicada em calçados importados da China (US$ 10,22 por par), que visa garantir a concorrência leal no mercado interno brasileiro. Atualmente, a Abicalçados está aguardando sua renovação e pleiteando a ampliação deste antidumping para calçados provenientes do Vietnã e Indonésia, para apoiar a recuperação do setor, que destina ao mercado doméstico mais de 85% das vendas setoriais e também depende das exportações, que por sua vez caíram 19,4% até novembro de 2020.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.