Sete países serão trabalhados pelo programa Brazilian Footwear em 2019-2020

A Abicalçados, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e os associados do Brazilian Footwear, programa de globalização de marcas brasileiras mantido pelas entidades, elegeram os mercados-alvo com maior potencial de consumo de calçados, especialmente brasileiros, e que serão trabalhados pelo programa no período de 2019-2020. Inicialmente, foram elencados 41 países, dos quais foram selecionados sete: Estados Unidos, Peru, França, Reino Unido, China, Coreia do Sul, e Arábia Saudita. 



Os Estados Unidos, que segundo a Abicalcados exige um grande trabalho de imagem e posicionamento de marca, consumiu 2,3 bilhões de pares e importou 2,3 bilhões em 2016, e segue como um dos mercados-alvo do Brazilian Footwear.  Na América Latina, o Peru, que tem uma classe média crescente, grande potencial de consumo de calçados, e onde o Brasil participa apenas com 9,46% das importações totais, ingressou pela primeira como mercado-alvo do programa. Em 2016, o Peru consumiu 88 milhões de pares e importou 42 milhões.

A França, que é o terceiro principal destino do calçado brasileiro no exterior e teve neste ano a primeira missão comercial de marcas nacionais entre 11 e 13 de junho, se manteve na lista para o próximo biênio (em 2016, o país consumiu 403 milhões de pares em 2016 e importou 487 milhões). E ainda no continente europeu, também foi selecionado o Reino Unido, que recebeu uma Missão Prospectiva da Abicalçados em maio deste ano, identificando oportunidades para os três segmentos feminino, masculino e infantil. Em 2016, o país consumiu 235 milhões de pares e importou 745 milhões.

Na Ásia, a China, que atualmente é mercado-alvo do programa, permaneceu na seleção (em 2016, o país consumiu 3,8 bilhões de pares e importou 84 milhões), e foram incluídas a Arábia Saudita (420 milhões de pares consumidos em 2016, e 277 milhões importados), por ser grande mercado com influência nos demais países do Oriente Médio; e a Coreia do Sul (60 milhões de pares consumidos em 2016, e 16 milhões de pares importados), pelo poder econômico e também pela influência que tem na China. 

“Como metodologia de seleção, utilizamos 47 indicadores, que formaram sete blocos de variáveis: comércio, dinamismo de mercado, desempenho nas exportações do Brazilian Footwear, concorrência interna, macroeconomia local, demografia e renda e consumo de calçados”, explicou Clara Santos, coordenadora de Inteligência de Mercado da Apex-Brasil, sobre os mercados selecionados.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - CalçadosNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER