×

Semana da Moda Masculina arranca em Paris em contexto explosivo

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 13 de jan de 2020
Tempo de leitura
access_time 4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A última etapa da maratona masculina, depois de Londres, Florença e Milão, a semana parisiense começa esta terça-feira, 14 de janeiro, em terreno minado. Por um lado, a greve dos transportes paralisa a capital há mais de um mês. Por outro, o regresso da Gucci a Milão, que fecha a semana italiana nesta mesma terça-feira ao meio-dia, complica a situação, amputando o programa francês em meio dia. O contexto fica completo com a cada vez maior atratividade de Paris, com um aumento exponencial de marcas que desejam desfilar em off.


A fashion week de Paris anuncia-se movimentada - Shutterstock Ivan Bastien


É neste contexto explosivo que a fashion week de Paris dedicada às coleções outono-inverno 2020/21 acontece até segunda-feira, 19, com 53 desfiles em cartaz (em comparação com 60 na última temporada). Quase vinte shows posicionados fora do calendário oficial, algo inédito! Um verdadeiro quebra-cabeças para a Fédération Française de la Haute Couture et de la Mode, que, para ultrapassar as dificuldades de circulação, vai duplicar o número de transfers para ajudar na deslocação para os desfiles, além de colocar à disposição alguns transfers a partir dos aeroportos.
 
É claro que esta nova edição poderá contar com a presença das marcas mais importantes, como Off-White e Vetements, bem como das maiores casas de luxo, da Dior à Louis Vuitton, passando por Hermès, Valentino, Balmain e Lanvin, à exceção da Celine, cuja linha masculina sai do calendário nesta temporada.

Dois grandes regressos são anunciados: Givenchy, que desfilou no Pitti Uomo em junho passado, e Jacquemus, que escolheu o sul de França para comemorar o seu 10.º aniversário. Esta última apresentará no mesmo desfile, tal como na temporada passada, na Provença, as suas coleções masculina e feminina, levando no sábado, 18 de janeiro, a esfera da moda até Nanterre, no quartier de La Défense.

Botter é um dos novos rostos desta fashion week


 
Além disso, o calendário parisiense recebe quatro novos nomes: Rhude, Botter, Rochas Homme e Graig Green. A primeira marca, Rhude, desfila na abertura, no dia 14, logo após a Sankuanz. Fundada em 2018 em Los Angeles pelo californiano Rhuigi Villasenor, mistura espírito de alta costura e elementos street. Na quinta-feira, 16, será o momento de descobrir o novo homem Rochas, confiado há duas temporadas ao estilista italiano Federico Curradi, enquanto à noite a dupla composta por Rushemy Botter e Lisi Herrebrugh, que também atuam na direção artística da Nina Ricci, irá desfilar pela primeira vez com a sua marca Botter, Grande Prêmio do Festival de Hyères 2018.
 
A estrela em ascensão Craig Green, um dos jovens designers mais interessantes da cena londrina, que reescreve de temporada em temporada os códigos do guarda-roupa masculino misturando workwear e formas futuristas, está programada para o último dia, domingo, 19 de novembro. Anunciados entre as novas entradas estão Casablanca, a marca do franco-marroquino Charaf Tajer, que desfilará na sexta-feira, 17, bem como Kidill, Louis Gabriel Nouchi, Natasha Zinko, Basscoutur, Amiri, Taakk, Tatras, Boramy Viguier no âmbito do Tranoï, Klaesi Holdener, Lazoschmidl, Gunther, Li-Ning e Geoffrey B. Small.


Rushemy Botter e Lisi Herrebrugh vão desfilar pela primeira vez com a sua marca Botter em Paris - © PixelFormula


Entre as treze marcas que já não figuram no calendário de desfiles nesta temporada, algumas optaram por organizarem o seu desfile paralelamente ao programa oficial. Este será o caso, por exemplo, de Heron Preston, Rynshu, que celebra na ocasião os seus dez anos, no domingo 19, ou ainda da Pigalle. A casa de street-couture de Stéphane Ashpool desfilará no domingo, 19, revelando a sua nova colaboração com a Nike.
 
As outras casas, como a japonesa Facetasm, a americana Sies Marjan, do designer holandês Sander Lak, ou ainda Andrea Crews, se reposicionaram para o programa de apresentações, que está crescendo e que a Fédération de la Haute Couture et de la Mode quer melhorar mais.
 

Thom Browne e Kenzo marcam presença nos desfiles femininos



Entre as deserções, de referir Fumito Ganryu, CMMN SWDN e a marca japonesa Christian Dada, que fechou. Por sua vez, Thom Browne desfilará a sua coleção masculina com a feminina em fevereiro, assim como a Kenzo, que apresentará as primeiras coleções masculinas e femininas de Felipe Oliveira Baptista durante a semana do prêt-à-porter feminino, enquanto a Jil Sander apresentou a sua coleção no salão florentino Pitti Uomo a 8 de janeiro.
 
Por fim , a federação francesa de alta costura lança uma nova iniciativa durante esta sessão masculina, atualizando o seu showroom dedicado aos jovens designers Designers Apartment. Em vez de se realizar duas vezes por ano durante a semana do prêt-à-prêt, este novo showroom, rebatizado "Sphère - Paris Fashion Week® showroom", reunirá uma dúzia de marcas quatro vezes por ano, ou seja, também durante a sessão masculina.
 
A primeira edição do Sphère começa esta semana de 15 a 19 de janeiro no Palais de Tokyo com nove marcas: Blue Marble, Boyarovskaya, Egon Lab, Ester Manas, Gamut, Kits, Mansour Martin, Mossi e Simon Lextrait. Durante a apresentação das coleções em fevereiro-março irá acontecer uma segunda edição, que também receberá três designers internacionais: Germanier, Kenneth Ize e Thebe Magugu, vencedor do Prêmio LVMH 2019.

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.