×
894
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Semana da Moda de Paris adiciona Rokh e Cyclas ao calendário de desfiles

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 1 de fev de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A Semana de Moda de Paris adicionou duas novas marcas, Rokh e Cyclas, ao calendário oficial da próxima temporada feminina de desfiles, que acontece no final deste mês.


O estilista nascido na Coréia, Rok Hwang, da Rokh, estréia nas passarelas de Paris no dia 25 de fevereiro


Com as duas novas marcas, o total de desfiles no calendário oficial sobe para 78. O calendário foi divulgado pela Fédération de la Haute Couture et de la Mode, órgão que controla a moda francesa, na manhã de sexta-feira (1).
 
Rokh, cujo estilista é o finalista do Prêmio LVMH e ex-ex-aluno da Celine, Rok Hwang, nascido na Coréia, é conhecida por seu minimalismo gráfico. Rokh fará o desfile de abertura da temporada na segunda-feira, 25 de fevereiro, às 17h30. A temporada de nove dias vai até terça-feira, 5 de março, finalizando com o desfile da Louis Vuitton às 18h.

Cyclas é a ideia da compradora que virou designer Keiko Onose, que se concentra em luxo. Ela fez sua primeira apresentação oficial em Paris em março de 2018, e seu desfile, marcado para o dia 5 de março, será o seu primeiro nas passarelas francesas.

A Fédération também anunciou que 14 marcas foram escolhidas para serem listadas no calendário oficial de apresentações da Semana da Moda de Paris, a temporada de moda mais importante do mundo. Listadas por nome, país de origem e ano de fundação, as novas marcas da temporada são as seguintes: Faith Connexion (França, 2002); Gauchère (França, 2013); Karim Adduchi (Holanda, 2015); Kimhekim (Coreia, 2014); Kristina Fidelskaya (Emirados Árabes Unidos, 2014); Kwaidan Editions (Grã Bretanha, 2016); Mame Kurogouchi (Japão, 2010); Moohong (Coreia, 2013); Unravel Project (Itália, 2015); Walk of Shame (Rússia, 2011); Cukovy (Hungria, 2014); Maison Mai (China, 2016); Magda Butrym (Polônia, 2014) e Savoar Fer (França, 2016).

A temporada de Paris também terá as tradicionais grandes marcas globais baseadas em Paris,  Dior, Saint Laurent, Chloé, Celine, Hermès, Balenciaga, Givenchy e Chanel. Além disso, terá uma infinidade de marcas de designers estrangeiros como Alexander McQueen, Yohji Yamamoto, Issey Miyake, Miu Miu, Dries Van Noten e Thom Browne.

Três grandes marcas, Lanvin, Lacoste e Nina Ricci, terão as estréias de novos designers, mas isso não surpreende, dada a rotatividade cada vez mais rápida de diretores criativos em grandes marcas. 

Na Lanvin, Bruno Sialelli, que anteriormente trabalhou na Loewe, Balenciaga e Paco Rabanne, estreia na manhã de 27 de fevereiro. Lanvin, controlada pelo grupo de investimento chinês Fosun, nomeou oficialmente Bruno Sialelli no mês passado. Já a nova escolha da Lacoste é Louise Trotter, nascida no Reino Unido, e que fez uma carreira brilhante em cargos como designer da Joseph em Londres; diretora da moda feminina da Calvin Klein e designer da Tommy Hilfiger. Louise Trotter faz sua estréia em Paris no domingo, 5 de março, no penúltimo desfile da temporada. Por fim, Nina Ricci deu o passo mais radical. A conceituada marca contratou Rushemy Botter e Lisi Herrebrugh - os vencedores do Festival d'Hyères em 2018 e finalistas do mais recente Prêmio LVMH - como diretores criativos. Eles fizeram muito sucesso em Hyères com seu desfile inspirado em pescadores africanos, então espere uma grande mudança nessa marca da Avenue Montaigne.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.