×
751
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Sears vai pedir liquidação

Por
Reuters API
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 9 de jan de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

NOVA IORQUE (Reuters) - A Sears Holdings vai solicitar a sua liquidação após o fracasso de um plano de recuperação de 4,4 bilhões de dólares (3,85 bilhões de euros) apresentado pelo seu presidente Edward Lampert, algo que poderá levar ao desaparecimento da cadeia de grandes armazéns após 126 anos de existência, revelaram fontes próximas ao processo. 


O presidente Edward Lampert havia proposto na semana passada um plano de recuperação para salvar a marcaFotografia de arquivo/REUTERS/Peter Morgan - Photo d'archives/REUTERS/Peter Morgan


A morte deste ícone da distribuição nos Estados Unidos seria um retrato das dificuldades persistentes do setor tradicional face à concorrência de grandes empresas do comércio online, como a Amazon, que roubam os clientes e puxam os preços para baixo.
 
A Sears, que declarou falência em outubro, pode ter que fechar as centenas de lojas que continua a operar, o que pode causar a perda de posto de trabalho para 68 mil pessoas, disseram as fontes. No contexto de tal procedimento, os seus vastos stocks de equipamentos e mobiliário poderiam ser vendidos de forma acelerada, acrescentaram as fontes.

Na mesma audiência, num tribunal comercial de Nova Iorque na terça-feira, Edward Lampert e o seu fundo ESL Investments devem apresentar os detalhes da sua oferta e apelar através dos seus advogados por um relançamento de esforços para tentar salvar a Sears, dizem as fontes.
 
O juiz responsável pelo processo, Robert Drain, poderá aceitar dar a Edward Lampert mais tempo para melhorar a sua oferta, de acordo com as mesmas fontes. Não está programado nenhum leilão de ativos da Sears até segunda-feira. 
 
Representantes da Sears e de Edward Lampert não responderam imediatamente às notícias da Reuters.
 
Anos de agonia

Um dos principais obstáculos nas negociações entre a Sears e Edward Lampert foi a retoma, na última oferta, dos custos acumulados pela cadeia de grandes armazéns no âmbito do processo de falência, dizem algumas fontes.
 
Alguns credores também argumentaram em favor da liquidação, não só na esperança de recuperarem mais dinheiro, mas também devido às incertezas legais que detetaram na oferta de aquisição de Edward Lampert.

Uma liquidação da Sears poria fim a um período de agonia de vários anos, marcado por um declínio no volume de negócios, pelo encerramento de centenas de lojas, por uma sucessão de perdas e por tentativas vãs de recuperação por parte de Edward Lampert, que adquiriu a empresa em 2005 através de uma transação de 11 bilhões de dólares.

Criada no final do século XIX, a Sears alcançou o sucesso com o seu catálogo de produtos tão variados como brinquedos, medicamentos, gramofones, carros e mesmo lápides, o que a tornou uma espécie de Amazon da altura. Agora, é provável que tenha o mesmo destino que a Toys'R'Us, a primeira cadeia de lojas de brinquedos nos Estados Unidos, forçada à liquidação seis meses após a sua falência em 2017.

© Thomson Reuters 2019 All rights reserved.