Sandro, Maje, Claudie Pierlot: crescimento internacional robusto no terceiro trimestre

A SMCP, a casa mãe das marcas de prêt-à-porter Sandro, Maje e Claudie Pierlot, reiterou os seus objetivos anuais na terça-feira, citando uma atividade robusta no terceiro trimestre, especialmente para a Maje, impulsionada pelas vendas no outro lado do Atlântico e na Ásia.


Flagship Maje em Nova Iorque, no Rockefeller Center - Maje

De julho a setembro, o volume de negócios saltou 13,8%, para 247,7 milhões de euros, tanto graças às lojas já existentes como à abertura de novos locais, diz o grupo em comunicado.
 
Nos últimos 12 meses, a SMCP somou 118 aberturas de lojas líquidas - 88 das quais operadas por conta própria - em conformidade com as suas projeções.
 
A atividade subiu 43,5% no terceiro trimestre na América do Norte, para 32,5 milhões de euros, e 30,2% na Ásia-Pacífico (China, Hong Kong, Coreia do Sul, Singapura, Tailândia, Austrália), para 47,8 milhões de euros.
 
Apoiado por estes bons resultados, o grupo reiterou os seus objetivos anuais: um crescimento anual de vendas "superior a 13%" a taxas de câmbio constantes e uma margem operacional (EBITDA) de "cerca de 17%". Com três alavancas de crescimento: acessórios, homem e digital (aumento de 3% para mais de 14% das vendas em três anos).

Na França, no entanto, a SMCP viu o seu volume de negócios estagnar (-0,1%) em 89,6 milhões de euros, sofrendo com as condições climatéricas adversas num mercado "particularmente difícil", com uma queda de 6,5% durante o período. "Este mercado tem vindo a regredir nos últimos oito anos, e deve continuar na mesma tendência” nos próximos meses, afirmou o diretor Daniel Lalonde durante uma teleconferência.

Na França, onde conta com 482 lojas, o grupo está a otimizar a sua rede, fechando pequenas lojas e investindo nas suas melhores localizações.
 
Finalmente, nos seus "quatro mercados estratégicos" na Europa (Reino Unido, Alemanha, Itália e Espanha), um "crescimento de dois dígitos" (+13,4% no global para a zona) felicita-se a SMCP.

Por marcas, a Maje viu o crescimento do seu volume de negócios aumentar 20,3% para 98,4 milhões de euros, contra 118,9 milhões para a Sandro (+ 9,9%). Nos últimos 12 meses, o grupo abriu 34 lojas Maje, nomeadamente em Verona, Pequim e Nova Iorque, no Rockefeller Center.

Bem implantada em França e na Europa, mas com cada vez mais presença na China, a Claudie Pierlot viu as suas vendas aumentarem 10,1% para 30,4 milhões de euros.

Evelyne Chetrite e Judith Milgrom fundaram, respetivamente, a Sandro e a Maje em Paris em 1984 e 1998, e continuam a garantir a direção artística. Fundada em 1984 por Claudie Pierlot, a marca homônima foi adquirida em 2009 pelo grupo que passou a denominar-se SMCP. O grupo, cotado em bolsa há um ano, tem como acionista o grupo chinês Shandong Ruyi.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

Moda - Pronto-a-vestirNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER