Roberto Cavalli: Paul Surridge está de saída

Paul Surridge está prestes a deixar a Roberto Cavalli, onde apresentou a sua última coleção a 23 de fevereiro, nas passarelas de Milão. O designer, que estava à frente da direção criativa da marca de luxo italiana desde maio 2017, decidiu afastar-se. Uma fonte ligada à empresa confirmou à FashionNework.com a informação revelada na manhã desta quinta-feira pela revista americana WWD. Por seu lado, a casa não quis comentar.


Paul Surridge no final do seu último desfile para a Roberto Cavalli, em fevereiro - © PixelFormula

O designer britânico chegou à Roberto Cavalli num contexto delicado. Adquirida em abril de 2015 pelo fundo italiano Clessidra, após um ano com sucesso moderado e dificuldades financeiras, a casa recorreu em 2016 a Gian Giacomo Ferraris, nomeando-o CEO e encarregando-o de relançar e reposicionar como uma grande marca de luxo. O designer se juntou à casa um ano mais tarde, quando esta foi objeto de uma profunda reestruturação.
 
"O projeto para o qual Paul Surridge foi recrutado mudou ao longo do caminho. Os investimentos não acompanharam, como comprovam, por exemplo, as principais lojas da marca, que não mudaram e ainda apresentam o conceito de design do diretor criativo anterior, Peter Dundas. A publicidade também foi bastante reduzida. Quanto aos recursos alocados para a criação, eram limitados. Sem falar dos desfiles, que, por falta de fundos, não foram feitos para reposicionar a Roberto Cavalli no mundo do luxo. Neste contexto, um relançamento torna-se realmente impossível", explica a fonte.
 
Paul Surridge também havia sido escolhido há dois anos para orientar a marca para uma direção diferente da estética original incutida pelo fundador Roberto Cavalli, super glamourosa, sexy e extravagante. Uma estratégia que tornou, sem dúvida, o seu trabalho mais difícil e nem sempre compreendido pelo mercado.
 
O estilista "está a avaliar outras propostas e para o fazer com toda a serenidade, é melhor que saia da Roberto Cavalli", disse a fonte, acrescentando que "Paul Surridge não está prestes a assinar um novo contrato com outra casa, estando apenas a avaliar uma oferta".

A partida do criador acontece também num contexto particular para a marca. Esta última, cujo volume de negócios esperado para 2019 é de 155 milhões de euros, está há vários meses à procura de investidores. A venda da Roberto Cavalli pela Clessidra é dada como iminente e deixou em alerta os sindicatos, preocupados com o futuro da empresa e, em particular, com os 270 funcionários que trabalham principalmente em Florença.

De acordo com os últimos rumores, o grupo americano Bluestar Alliance, que já conta no seu portefólio com várias marcas de moda americanas, como Bebe, Catherine Malandrino, Tahari ou Brookstone, estará na pole position com uma oferta de 100 milhões de euros. O designer alemão Philipp Plein também estará na corrida, apoiado pelo fundo inglês Blue Skye Investment Group.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - DiversosCriaçãoNomeações
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER