×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
31 de mar de 2021
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Receita da PVH cai 20% no quarto trimestre

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
31 de mar de 2021

O grupo nova-iorquino PVH Corp, que controla as marcas Tommy Hilfiger e Calvin Klein, reportou um volume de negócios 2,1 bilhões de dólares (1,79 bilhão de euros) no quarto trimestre, encerrado em 31 de janeiro de 2021, o que equivale a uma queda de 20% em relação aos 2,5 bilhões de dólares no mesmo período do exercício precedente. À taxa de câmbio constante, a queda foi de 23%.


A atividade da PVH continua a ser afetada pela crise sanitária - Instagram: @tommyhilfiger

 
A receita caiu em todo o portfólio de marcas da PVH, já que a pandemia de Covid-19 continua a ter um impacto significativo nas operações da empresa. Na Tommy Hilfiger, as receitas caíram 16%, com queda de 28% na América do Norte e 10% a nível internacional, enquanto na Calvin Klein a queda foi de 17%, incluindo quedas de 25% na América do Norte e 10% no internacional.
 
A atividade das marcas históricas do grupo, que inclui Van Heusen, Geoffrey Beene, Izod, Arrow, Warner's, True & Co. e Olga, registrou um decréscimo de 41%. Este valor inclui o impacto da venda da filial norte-americana da Speedo, que resultou numa queda de 17% nas vendas. A PVH anunciou em julho do ano passado que planeja encerrar as atividades de varejo de suas marcas históricas até meados de 2021.

Por canal: a receita da PVH caiu 20% em relação ao quarto trimestre do exercício precedente na sua atividade de venda direta ao consumidor, apesar de um aumento de 68% no e-commerce, enquanto o seu canal de vendas por atacado registrou um declínio de 19% .

O prejuízo líquido trimestral da empresa foi de 57,7 milhões de dólares (49,2 milhões de euros), ou 0,81 centavos por ação diluída, em comparação com uma perda de 67,4 milhões de dólares, ou 0,93 centavos por ação diluída, no mesmo período em 2019-2020.
 
Stefan Larsson, CEO da PVH, comentou em um comunicado: "No quarto trimestre, alcançamos um volume de negócios em conformidade com as expectativas, apesar das medidas de confinamento na Europa, uma vez que conseguimos manter o curso entre as incertezas e o impacto sem precedentes da pandemia para acelerar a recuperação."

“Estamos trabalhando para que os nossos pontos fortes fundamentais correspondam aos desejos dos consumidores nas nossas principais marcas - Calvin Klein e Tommy Hilfiger -, tirando partido do bom desempenho do nosso e-commerce vinculado à nossa oferta de produtos casuais, o que nos permite conquistar particcipação de mercado no domínio internacional.”
 
Para a totalidade do exercício de 2020, a PVH registrou um volume de negócios de 7,1 bilhões de dólares (6,1 bilhões de euros), uma queda de 29% em relação aos 9,9 bilhões de dólares do ano fiscal de 2019. A receita anual caiu 23% na Tommy Hilfiger, 28% na Calvin Klein e 44% entre as marcas históricas do grupo.

A PVH registou um aumento de 69% nas receitas dos seus negócios de e-commerce em 2020.

O prejuízo líquido do exercício foi de 1,1 bilhão de euros (938 milhões de euros), ou 15,96 dólares por ação diluída, em comparação com ganhos de 415,1 milhões de dólares, ou 5,60 dólares por ação diluída, para a totalidade do exercício de 2019.
 
Para 2021, a PVH espera um aumento de receita entre 22% e 24%, enquanto o lucro anual deve chegar a cerca de 5,00 dólares por ação.
 
No primeiro trimestre, espera-se que a receita aumente de 42% a 44% em relação ao primeiro trimestre do exercício de 2020, com lucro por ação entre 0,28 e 0,31 centavos.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.