×
Por
Reuters API
Publicado em
28 de jun. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Receita da Nike supera estimativas à medida que demanda da Europa ofusca queda nas vendas da China

Por
Reuters API
Publicado em
28 de jun. de 2022

A Nike Inc anunciou que superou as estimativas de receita trimestral devido à forte demanda por suas roupas esportivas e tênis na Europa, o que ajudou a compensar a diminuição das vendas na China após os bloqueios relacionados à pandemia de Covid-19.


Nike


As ações da empresa subiram cerca de 1%, para US$ 111,80 e a Nike também anunciou um novo plano de recompra de ações classe B de US$ 18 bilhões.

Os clientes afluentes permanecem consumindo apesar da alta inflação e estão apostando em produtos de preços mais altos, o que tem a ajudado a Nike a sustentar o boom nas vendas de roupas esportivas induzido pela pandemia.

As vendas da empresa na Europa, Oriente Médio e África aumentaram 9%, para US$ 3,25 bilhões no trimestre reportado. As vendas na Grande China caíram 19%, prejudicadas pelos rigorosos bloqueios relacionados à COVID-19.

Os analistas estão divididos em relação às perspectivas da empresa na China este ano, mesmo após as restrições relacionadas à pandemia terem sido suspensas em várias grandes cidades, pois muitas pessoas reduziram os gastos e estão optando por consumir marcas locais, como Li Ning e Anta.

A Nike reportou receita de US$ 12,23 bilhões no quarto trimestre, superando as estimativas de US$ 12,06 bilhões, de acordo com dados IBES da Refinitiv.

“Não dá pra dizer que a Nike não teve uma forte demanda por seus produtos”, disse o analista da BMO Capital Markets, Simeon Siegel, acrescentando que os consumidores da empresa podem estar “respirando neste pós-pandemia”.

O lucro líquido da Nike caiu para US$ 1,44 bilhão, ou US$ 0,90 por ação, no trimestre encerrado em 31 de maio, ante US$ 1,51 bilhão, ou US$ 0,93 por ação, um ano antes.

A Nike registrou gastos de cerca de US$ 150 milhões relacionados à sua decisão de sair da Rússia e à transição de modelos de negócios em alguns países sul-americanos.

A empresa disse que seus estoques aumentaram 23%, para US$ 8,4 bilhões, à medida que mais de seus produtos permanecem em trânsito devido às contínuas interrupções na cadeia de suprimentos global.
 

© Thomson Reuters 2022 All rights reserved.