Puma vai reduzir 35% de suas emissões de carbono até 2030

A Puma quer reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 35% até 2030. A meta da marca esportiva alemã foi aprovada pela Science Based Target initiative (SBTi) - uma colaboração entre CDP, Global Compact Initiative da ONU, World Resources Institute e World Wide Fund for Nature (WWF).


A Puma vai reduz suas emissões de carbono em 35%. - Robert Ashcroft/ PUMA

A meta baseada em ciência garantirá que os objetivos da empresa estejam alinhados com o Acordo de Paris, que visa limitar o aquecimento global a bem abaixo de 2°C acima dos níveis pré-industriais.

A Puma se comprometeu a reduzir as emissões em suas instalações próprias e terceirizadas (Escopo 1 e 2) em 35% até 2030, em comparação com 2017. A empresa também pretende reduzir suas emissões do Escopo 3 (provenientes de bens e serviços adquiridos) em 60% por milhão de euros em vendas até 2030.

“Relatórios científicos recentes destacaram a necessidade de uma ação urgente, já que o aquecimento global está acontecendo em um ritmo mais rápido do que o previsto anteriormente. É por isso que a Puma quer fazer parte da solução, estabelecendo um caminho ousado para reduzir as emissões de gases de efeito estufa”, disse Stefan Seidel, diretor de sustentabilidade corporativa da Puma.

Como parte de seu compromisso com a sustentabilidade, a fabricante de artigos esportivos está desempenhando um papel importante no desenvolvimento da "Fashion Industry Charter for Climate Action", apresentada na Conferência da ONU sobre Mudança Climática, realizada na Polônia em 2018.

"Sabemos que a indústria da moda tem um impacto significativo no meio ambiente, mas o rápido crescimento da produção global de vestuário e calçados não mostra sinais de desaceleração", disse Cynthia Cummis, diretora de mitigação climática do setor privado do World Resources Institute (WRI). "Precisamos que mais empresas do setor sigam o exemplo da Puma e busquem estratégias abrangentes para reduzir as emissões de carbono e fazer a sua parte para evitar uma mudança climática catastrófica".

No dia 25 de junho, o SBTi divulgou novas orientações para esclarecer a medição e reduzir as emissões da cadeia de valor no setor de vestuário e calçados. A organização fornece orientação especializada e promove as melhores práticas no estabelecimento de metas baseadas em ciência.

Outras empresas, como C&A, Tchibo e Lenzing Group, também anunciaram recentemente planos para reduzir suas emissões de CO2.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

EsporteIndústria
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER