×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
9 de dez de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Puig reorganiza estrutura e revê planos de crescimento

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
9 de dez de 2020

Depois de ter protagonizado uma das aquisições milionárias mais importantes desde o início da pandemia - a marca Charlotte Tilbury por 1 bilhão  de euros em junho, o grupo catalão Puig tornou públicas as suas previsões econômicas para o futuro. Assim, como consequência da redução das vendas provocada pelo coronavírus, o conglomerado informou que este ano as suas vendas vão cair para 1,5 bilhão de euros. Valor que representa uma queda na faturação de 26%, em relação aos 2,029 bilhões alcançados em 2019.


Torre Puig - Grupo Puig


"À medida que os efeitos da Covid-19 começam a retroceder, a Puig espera uma recuperação significativa no seu negócio em 2021, superando o valor recorde de 2 bilhões de euros alcançado em 2019", garantiu o conglomerado espanhol através de um comunicado enviado na quarta-feira, 9 de dezembro. O grupo pretende limitar o recuo das vendas ao exercício em curso, para ganhar fôlego ao longo do próximo ano e atingir o objetivo de faturar 3 bilhões em 2023.

Segundo as previsões da empresa, este valor deverá ascender a 4 bilhões de euros em 2025. A Puig espera que, dentro de cinco anos, a Paco Rabanne e a Carolina Herrera faturem cerca de 1 bilhão de euros. Até lá, as vendas da Isdin e da Charlotte Tilbury deverão chegar a 500 milhões de euros, enquanto outras marcas, como Jean Paul Gaultier, Penhaligon's, Dries Van Noten, Uriage, Apivita, L'Artisan Parfumeur e a licença da Christian Louboutin oscilarão entre 100 e 500 milhões de euros.

“Neste contexto, a empresa prevê um crescimento significativo devido à penetração digital e ao crescimento na China, que deverão responder por 30% e 25% das vendas em 2025, respetivamente”, detalhou o grupo propriedade da família Puig. A empresa afirmou também que assinou acordos que "lhe permitirão conquistar posições majoritárias em empresas nas quais atualmente tem uma presença minoritária", como a colombiana Loto del Sur e a indiana Kama Ayurveda.

Uma estrutura empresarial renovada



Beauty and Fashion, Charlotte Tilbury e Derma são as três divisões recentemente criadas pela empresa e com as quais esta começará a operar a partir de 1º de janeiro de 2021. A primeira será formada pelas marcas Paco Rabanne, Carolina Herrera, Jean Paul Gaultier, Nina Ricci, Dries Van Noten, Penhaligon's, L'Artisan Parfumeur, as licenças de beleza da Christian Louboutin e da Comme des Garçons Parfums e as marcas lifestyle Adolfo Domínguez, Antonio Banderas, Shakira e Benetton. De acordo com a empresa catalã, o negócio de fragrâncias destas marcas a posiciona como o quinto player mundial em perfumaria seletiva, com uma participação de mercado em torno de 10%.

Em segundo lugar, a marca de beleza Charlotte Tilbury terá uma divisão dedicada. E, por último, a recém-criada estrutura Derma apresentará as empresas Uriage e Apivita, nas quais a Puig tem uma participação majoritária, bem como a participação de 50% na Isdin. “O conjunto destas três marcas posiciona a Puig como o terceiro maior player do setor da dermocosmética de venda em farmácias na Europa”, afirmou a empresa.

Fundado em 1914 pela família que lhe dá o nome, o grupo é atualmente liderado por Marc Puig. Em 2019, a empresa aumentou seu faturamento em 5%, para 2,029 bilhões de euros. Até ao momento, a empresa com sede em Barcelona distribui seus produtos em 150 países.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.