Proprietário da Tod's vai continuar investindo em suas marcas apesar da queda nas vendas

A empresa italiana de calçados, Tod's, informou que vai continuar investindo na promoção de suas marcas e que, apesar da queda nas vendas, a família controladora não pretende tornar a empresa de luxo privada.


Ver o desfile
Tod's - Outono-Inverno 2019 - Moda Feminina - Milão. - © PixelFormula

O grupo, mais conhecido por seus mocassins Gommino que custam 450 euros, vem enfrentando dificuldades para rejuvenescer suas marcas e impulsionar as vendas fracas há vários anos, em meio à um mercado muito concorrido.

As vendas do grupo caíram para 454,6 milhões de euros no primeiro semestre do ano, 4,7% abaixo do mesmo período de 2018. A taxa de crescimento das vendas de suas lojas próprias (vendas em mesmas lojas) caiu 4,5%. Os resultados positivos se devem ao canal de varejo, onde as vendas cresceram 6,5%, impulsionadas pela plataforma online.

O CFO da companhia, Emilio Macellari, disse aos analistas durante uma teleconferência que a empresa espera que os resultados do ano inteiro sejam semelhantes aos obtidos no primeiro semestre. Em maio, Emilio Macellari disse aos analistas que pode ser um desafio atender às expectativas do mercado para 2019.

O presidente da Tod's, Diego Della Valle, vem gradualmente aumentando sua participação na empresa, cujo portfólio de marcas também inclui Hogan, Fay e Roger Vivier, e agora detém 64%. Della Valle, um empresário bem conhecido na Itália, disse em comunicado que ele e sua família estão confiantes com sua estratégia para a Tod's e vão continuar a comprar ações da empresa.

"O verdadeiro desafio para nós agora é tornar-nos e ainda mais atrativos para os jovens clientes que vivem nos novos mercados...precisamos aumentar nossos investimentos para nos tornar atrativos e visíveis", comentou Diego Della Valle.


Emilio Macellari disse que, até onde ele sabe, a família não está considerando a possibilidade de tornar a empresa privada. Questionado por analistas se os principais acionistas acreditam no futuro da empresa, o CEO Umberto Macchi di Cellere disse: "A família está muito convencida de que definitivamente esta não é uma batalha perdida”. A Tod's informou que registrou prejuízo líquido de 6 milhões de euros no período.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2019 All rights reserved.

Luxo - CalçadosLuxo - DiversosNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER