×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
9 de abr. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Paul Andrew deixa direção artística da Salvatore Ferragamo

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
9 de abr. de 2021

Após a liderança da Salvatore Ferragamo ter sido recentemente confirmada, com Leonardo Ferragamo substituindo seu irmão Ferruccio como vice-presidente não executivo, o diretor artístico Paul Andrew está, por sua vez, de saída. A marca de luxo florentina, que percorre há vários anos um caminho de relançamento, optou pela continuidade do lado da gestão, mas parece ter decidido mudar a sua estratégia no que diz respeito à criatividade e, consequentemente, à sua imagem.
 

Paul Andrew - DR


"Paul Andrew deixará a empresa em maio de 2021 para dar seguimento a outras oportunidades profissionais”, declarou a marca em comunicado, acrescentando que “a liderança criativa e de design da Ferragamo continuará sob a supervisão da equipe interna existente" e confirmando assim os rumores que circulavam há algum tempo. O designer britânico, originalmente especializado em calçados, aproveitou o seu tempo na empresa para provar o seu valor no vestuário.
 
Considerado um dos talentos mais relevantes em calçados, Paul Andrew destacou-se através da sua própria marca de calçados, reconhecida pelo seu savoir-faire técnico e pelo seu estilo elegante, moderno e glamoroso, com os seus famosos escarpins com saltos vertiginosos confortáveis. Marca que colocou em pausa quando assumiu a liderança do estilo da Salvatore Ferragamo.

Formado na Berkshire College of Art and Design, Paul Andrew estreou na Alexander McQueen, antes de se mudar para Nova York em 1999 para ingressar na Narciso Rodriguez e, por fim, lançar a sua própria marca em 2013. Reconhecido nos Estados Unidos, onde foi premiado várias vezes, o designer, agora na casa dos quarenta, engatou uma série de colaborações, trabalhando para Donna Karan, mas também para Michael Kors, Calvin Klein e Ralph Lauren, antes de ser recrutado em 2016 pela Salvatore Ferragamo.
 
Um passo importante para a empresa, que pela primeira vez na sua história recorreu a um diretor de design para a sua linha de calçados femininos. Um ano depois, em 2017, Paul Andrew foi impulsionado para a direção criativa das coleções de moda feminina e, em 2019, assumiu também a direção artística da moda masculina, supervisionando todas as categorias de produtos.
 
Sob a influência da família Ferragamo, a marca sempre preservou uma imagem bastante tradicional sem realmente inovar. Nos últimos anos, não conseguiu se renovar do ponto de vista criativo, nem evoluir a sua imagem, e encontra-se frequentemente no centro de especulações sobre a sua potencial venda.
 
Particularmente afetada pela crise da Covid-19, em 2020 sofreu um prejuízo líquido de 72 milhões de euros. Após dois anos difíceis em 2017 e 2018, a Salvatore Ferragamo começou a se recuperar em 2019, mas a pandemia afetou o seu volume de negócios, que chegou a 916 milhões de euros no ano passado, caindo 33,5%.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.