×
894
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Paris traz um verão de luxo e feminilidade

Por
Terra
Publicado em
today 12 de out de 2011
Tempo de leitura
access_time 4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Depois de um mês na corrida entre uma passarela e outra, um país e outro, um continente e outro, terminou a temporada de moda primavera-verão 2012 no Hemisfério Norte, com os desfiles de Paris. Lembrando que Paris é Paris e é de lá que saem os desfiles mais autorais e menos pasteurizados das passarelas. No vácuo dos desfiles de alta-costura, reservados a apenas a algumas grifes, o prêt-à-porter da maioria das marcas trilha a estrada do sofisticado, chique e precioso trabalho de fazer roupa. Por outro lado, a limpeza das formas, nessa era de crise econômica, chega também forte para a estação. Seguem alguns caminhos apresentados em Paris para a temporada quente do ano que vem.


Tecidos metalizados, como o do modelo apresetando por Gisele Bündchen no desfile da Givenchy, continuam vivos e vibrantes
Foto: Pixel Formula

Efeitos especiais - Além dos brilhos, patchwork de estampas e tecidos traçam impressões geométricas nas roupas, assim como o uso de duas cores numa mesma peça ou cores em bloco, não necessariamente os tons vivos. Exemplos: tons enferrujados com branco, preto e branco e por aí vai. Eles se misturam em linhas horizontais e verticais. Amarrações para criar volumes também valem, assim como sobreposições. Ah: não dá para se esquecer dos vazados, formando desenhos de flores ou lembrando aqueles que surgem quando se dobra um papel várias vezes e corta-se com a tesoura livremente.

Alta-costura pronta para vestir - A extrema delicadeza de peças, que recebem aplicações, bordados, brilhos recortes e transparências chiques, aparece na maioria dos desfiles parisienses. Parecem até roupas de concepção simples, mas com uma extrema dificuldade de execução.



Alexander McQueen by Sarah Burton e arte de fazer roupa num precioso, delicado e sofisiticado trabalho - Foto: Pixel Formula

Feminilidade - Isso não é novidade, a diferença é que na França, os criadores fazem moda mais autoral. Daí vem as transparências menos ousadas e mais discretas, num jogo de revelar e esconder sem exageros. Ênfase nas cinturas justas e nos quadris marcados, e nos comprimentos pelos joelhos, ou pouco acima deles. E, claro, os longos também persistem, seja para os tapetes vermelhos ou para o dia a dia.

Cintura - Continua chamando a atenção nas silhuetas. Vêm marcadas não só por cintos, como se viu à profusão em Nova York, Londres e Milão, mas também por encaixes e apertos, de onde derivam mais panos, babados, realçando volumes nos quadris.

Brilhos - Os tecidos metalizados mantêm-se vivos e vibrantes para o verão 2012. Vêm em peças lisas, com efeito changeant, como nos tafetás, ou em fitas brilhantes juntas, que parecem nervuras, e também em brilhos que lembram lurex e brocados. Aplicações de cristais, pérolas placas, como no retorno da grife Paco Rabanne, agora desenhado por Manish Arora, que prestou uma homenagem ao estilo do fundador.


Paco Rabanne por Manish Arora - Foto: Pixel Formula

Cores - O color blocking tão forte atualmente começa a ceder espaço para tons mais suaves, apastelados, mas quem domina mesmo a cartela de cores é o branco, junto com o coral e as cores inspiradas em pedras preciosas - leiam-se tons vivos, mas mais profundos. O azul é outra tonalidade forte, ao lado do verde e dos puxados para o mostarda e avermelhados.

Décadas - Os anos 50 direcionam as silhuetas das roupas, com as saias mais larguinhas partindo da cintura marcada. Para compor, casaquetos e blusinhas. Por outro lado, os anos 20, como já foi visto em outros países, também começa a tomar forma, descendo a linha do tronco e deixando as peças mais retas.

Estampas - Sim, elas também surgem, mas como menos presença do que em Londres e Milão. Desenhos geométricos, florais e algumas listras dão as caras aqui e ali. Entram também algumas divertidas, como sempre faz Jean Charles Castelbajac com desenhos de Mickey Mouse.


Jean Charles Castelbajac e os divertidos desenhos de Mickey Mouse Foto: Pixel Formula

Minimalismo - Se aparecem brilhos, bordados, volumes, sobreposições e babados, as linhas limpas também são firmes e fortes. Por isso, a presença, além das saias godês, também das saias tipo lápis, secas. Camisas e calças compridas, algumas justas, mas muitas mais confortáveis, dividem espaço com as saias, muitas, e com casquinhos e jaquetas.

Separações - Sim, há vestidos, mas menos que em outras passarelas. Em Paris, há mais mistura de peças, criando o que se chama na moda de "separates", ou seja, pega-se uma calça comprida aqui, uma camisa ali, um casquinho acolá, ou uma saia, para formar o looks, que numa outra ocasião se misturam com outras peças. Aqui, entra um pouco a história de se inspirar no guarda-roupa masculino. A mensagem é: em tempos de crise, é preciso ser prático.

Plissados e Franjas -É para prestar atenção, mesmo. As peças plissadas vêm fortes e prometem fixar assento na temporada de verão 2012. E na onda dos anos 20, surgem as franjas, algumas com efeito plastificado.

Rosângela Espinossi

Copyright © 2019 Terra. Todos os direitos reservados.