Papel das redes sociais na descoberta de um novo produto no exterior

O lançamento de novos produtos no mercado é uma aposta importante que necessita de uma atenção particular. A taxa de insucesso desses produtos hoje é ainda elevada. Uma grande maioria sai do circuito de distribuição antes do fim do seu primeiro ano de lançamento. É necessário, para as marcas, compreender muito bem a demanda dos consumidores e o meio de comunicar que lhes corresponde melhor.

Métodos de informação para um novo produto

Cada região do mundo reage de forma diferente aos novos produtos e à inovação. Estudo mostra que consumidores de países em desenvolvimento são os mais inclinados a provar um produto que nunca compraram antes.
 
"Mais da metade dos entrevistados da Ásia-Pacífico (69%), da África e Oriente Médio (57%) e da América Latina (56%) podem ser qualificados como 'testadores', já que eles declaram ter comprado um novo produto ao longo da última visita a uma loja, em comparação com 44% dos Europeus e com 31% dos entrevistados norte-americanos. Com 36% dos 'testadores', a França situa-se atrás da maior parte dos seus vizinhos diretos, como Itália (57%), Espanha (42%) e Alemanha (41%)".
 
Para atingir seu alvo, as marcas possuem múltiplos meios de informar. Em âmbito mundial, o consumidor vai, em primeiro lugar, pedir a opinião de uma pessoa próxima, em segundo, ser interpelado por uma publicidade na televisão ou, por fim, buscar informação durante uma visita a uma loja.
 
A importância da web e das redes sociais afirma-se, uma vez que, das nove fontes citadas, 4 referem a web: a pesquisa ativa na Internet (44%), nas redes sociais (26%), na publicidade on-line (26%) e nos sites das marcas fabricantes (25%).
 
Para os Franceses, no entanto, o principal critério é a descoberta na loja, e as redes sociais representam apenas 13% das respostas citadas, ou seja, a metade do nível mundial.
 
Mesmo que as redes sociais não fiquem no top 3 dos critérios de informação, elas são cada vez mais importantes, pois ganharam 11 pontos em 3 anos.
 
É na África e no Oriente Médio que elas são mais usadas (34%), assim como na América Latina (31%) antes da Europa (20%) e da América do Norte (22%).
 
Os critérios de compra são também classificados diferentemente segundo os países. No âmbito mundial, em ordem de importância, é o preço que importa, depois praticidade, o conhecimento da marca e, por fim, o aspecto de novidade.
 
A França destaca-se mais uma vez como a exceção, já que no país o primeiro critério citado é o prazer e o preço chega na 6ª posição.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Na mídia
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER