Pablo Isla considerado novamente o melhor CEO do mundo

O presidente do grupo Inditex, Pablo Isla, encabeça, pelo segundo ano consecutivo, o ranking elaborado anualmente pela Harvard Business Review com os melhores executivos de topo do mundo e que mede tanto resultados econômicos como elementos de responsabilidade social.


Pablo Isla, presidente do grupo Inditex - Inditex

Assim sendo, se Isla fosse avaliado apenas pelo seu desempenho financeiro ocuparia a posição 29 (em comparação com a 18ª há um ano), de acordo com a publicação, que explica que este sobe para a primeira posição graças ao forte desempenho da Inditex no domínio ambiental, social e de boa governança corporativa, que dão 20% da pontuação total.
 
"Esta distinção só foi possível graças ao trabalho de todas as pessoas que fazem parte da Inditex em todas as lojas, em todos os países, nas sedes de todas as cadeias, nos centros logísticos, nas fábricas e na sede corporativa", assegurou Isla num comunicado enviado aos trabalhadores do grupo têxtil, ao qual pertencem cadeias como Zara, Massimmo Dutti ou Stradivarius.
 
No memorando interno, Isla sublinhou que o esforço e empenho dos funcionários da Inditex é o que faz com que esta seja uma empresa "única" da qual todos se sentem "extremamente orgulhosos" de fazer parte.

Representando a Espanha na lista dos cem melhores chief executive officer (CEO), presidentes executivos e diretores-gerais, mantêm-se os presidentes da ACS, Florentino Pérez (que cai da posição 10 para a 24), e Iberdrola, Ignacio Sánchez Galán (que sobe de 58 para 36).

Se a classificação avaliasse os executivos apenas pelos resultados econômicos, como acontecia até 2015, a lista seria liderada pelo fundador da Amazon, Jeff Bezos, que no ranking global ocupa o lugar 68 porque, embora suba 3 degraus, a sua pontuação em termos de responsabilidade social continua a ser baixa.
 
Atrás de Isla estão os executivos máximos da Nvidia, Jensen Huang; LVMH, Bernard Arnault; Kering, François-Henri Pinault; Continental, Elmar Degenhart; Salesforce.com, Marc Binioff; Valeo, Jacques Aschenbroich; KBC, Johan Thijs; Sysmex, Hisashi Ietsugu; e Bouygues, Martin Bouygues.
 
Segundo a publicação, apenas seis executivos são repetentes na lista desde 2013: Bezos, Isla, Blake Nordstrom (Nordstrom), Paolo Rocca (Tenaris), James Taiclet (American Tower) e Renato Alves Vale (CCR).

Por outro lado, Marillyn Hewson (Lockheed Martin), Debra Cafaro (Ventas) e Nancy McKinstry (Wolters Kluwer) são as únicas mulheres que figuram este ano, o que reflete a baixa presença feminina entre os executivos máximos das maiores empresas do mundo.
 
Por país, os Estados Unidos contam com 49 representantes, França nove, China e Japão seis cada um e Espanha quatro. Com três representantes, são seguidos pela Alemanha, México e Reino Unido.

Traduzido por Estela Ataíde

© EFE 2018. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.

Moda - Pronto-a-vestirPersonalidadesNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER