×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
8 de jul. de 2019
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Osklen recebe prêmio do Green Carpet Challenge

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
8 de jul. de 2019

A ecoativista Livia Firth premiou a Osklen, marca de moda sustentável liderada pelo brasileiro Oskar Metsavaht, com o brandmark award do Green Carpet Challenge, pelo uso revolucionário da pele de peixe Pirarucu em suas coleções de moda.


Livia Firth entrega prêmio brandmark do Green Carpet Challenge à Oskar Metsavaht.


Livia Firth, que é co-fundadora e diretora de criação da Eco Age, também anunciou que a Green Carpet Collection de John Galliano para a Maison Margiela será lançada em setembro em Paris. Eco Age, Maison Margiela e LuisaViaRoma, a maior e-tailer independente da Itália, anunciaram o adiamento da coleção de Galliano cinco dias antes de ser apresentada, no dia 3 de julho na embaixada britânica, durante a Semana da Alta-Costura de Paris.
 
"Não se preocupem, é apenas um adiamento, e o lançamento certamente será em setembro, durante a próxima temporada de prêt-à-porter. John e Margiela farão isso acontecer”, disse Livia Firth ao FashionNetwork.com durante uma cerimônia para Oskar Metsavaht e a Osklen dentro do Les Jardins du Faubourg, um novo hotel boutique localizado próximo à embaixada.

Livia Firth, fundadora do movimento Green Carpet, entregou o prêmio a Oskar Metsavaht durante um almoço do ator francês Vincent Cassel, amigo íntimo do brasileiro, que também mora no Rio. “Há poucos caras mais legais ou melhores no Brasil do que Oskar”, disse Cassel, que fala português fluentemente. 
 
Por mais de uma década, a Osklen tem liderado o movimento para criar produtos de moda a partir de tecidos sustentáveis, como seus tênis, fabricados com pele de peixe Pirarucu da Amazônia, recicladas a partir de resíduos da indústria alimentícia. Ao substituir a energia do diesel, que é poluente, pela energia solar, as comunidades florestais da Amazônia têm uma fonte limpa de energia para fornecer as peles de peixe, gerar empregos e entrar na cadeia de suprimentos da moda usando um material anteriormente descartado que costumava criava poluição biológica.
 
"Poucas marcas de moda fizeram mais pelo meio ambiente do que a Osklen", disse Livia Firth à jornalistas de moda. Oskar foi à Paris diretamente do norte da Amazônia, com o torso ainda coberto de tatuagens vegetais, feitas enquanto enquanto assistia à uma cerimônia anual de nativos da região, que está cada vez mais sob pressão pelas políticas do novo governo de extrema direita de Jair Bolsonaro, que deu passe livre para a extração ilegal de madeira, agricultura e mineração, provocando um enorme aumento no desmatamento.
 
“É por isso que eu estava lá. A Amazônia é o pulmão do mundo e deve ser defendida”, argumentou Oskar Metsavaht, cujo próprio peito reforçou seu compromisso com essa causa.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.