×

OCDE alerta que a economia mundial sofrerá "por anos" devido ao coronavírus

Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
23 de mar de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A economia mundial sofrerá "por anos" e é “pouco realista" pensar que ela irá se recuperar rapidamente, alertou o secretário-geral da OCDE, Angel Gurria, em entrevista à BBC na segunda-feira (23).


Angel Gurria, Secretário-Geral da OCDE, em 24 de outubro de 2019 em Bogotá. - AFP Archives


Segundo Gurria, as últimas previsões da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que contemplavam no início de março que uma epidemia prolongada e grave de coronavírus reduziria o crescimento mundial para apenas 1,4% este ano, já parecem desatualizadas e otimistas demais.
 
Em novembro do ano passado, antes do início do surto, a OCDE ainda estimava que o crescimento do produto interno bruto (PIB) global deste ano seria 2,9%, que era o nível desde a crise financeira de 2008-2009.
 
"Mesmo se não tivermos uma recessão mundial, teremos crescimento nulo ou negativo em muitas economias, incluindo as maiores, então levará mais tempo para a recuperação", disse Gurria.
 
De acordo com o secretário, as incertezas associadas à pandemia, que paralisam as atividades em todo o mundo, uma vez que muitos países estão entrando em quarentena ou reforçando suas medidas, tornam o choque econômico mais sério do que o após os ataques de 11 de setembro de 2001 ou a crise financeira de 2008.
 
No sábado, Gurria pediu um esforço "internacionalmente coordenado" para tentar mitigar esse enorme impacto da pandemia. "Este é o terceiro e maior choque econômico, financeiro e social do século 21 e exige um esforço global moderno semelhante ao Plano Marshall e ao New Deal combinados para evitar uma recessão prolongada", ressaltou.
 

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.