×
680
Fashion Jobs

O triunfo escultural da Loewe

Publicado em
today 29 de set de 2017
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Atualmente, tudo o que Jonathan Anderson faz em termos profissionais parece funcionar. O estilista apresentou uma coleção impressionante, fresca e completamente nova para a Loewe na manhã de sexta-feira, em Paris.


Loewe PV18 - Photo: PixelFormula


Apresentada numa sinuosa passarela oval montada dentro do edifício da UNESCO e inspirada nos quadros Water Lilies, de Monet, a coleção era esguia, mas ainda assim curvilínea, com looks repetidos ao longo do desfile, mas apresentados em diferentes materiais. É o caso de uma incrível saia em patchwork, primeiro apresentada em camurça e couro bruto e depois em diversos fragmentos de denim.
 
Anderson decorou o espaço com algumas belas tapeçarias, penduradas nas paredes brancas, com imagens a preto e branco de Steven Meisel ou fotografias de crianças a correr na lama, que o estilista comprou num mercado provençal. Pequenos homens em cerâmica estavam posicionados no chão em pequenos candelabros.

Anderson já estabeleceu a sua silhueta de assinatura – o vestido levemente oversized -, que nesta temporada foi encolhido para criar roupa altamente sensual.
 
Tudo o que capta a sua atenção pode ser transformado num produto artístico. E assim, chinelos marroquinos babushka transformam-se em ténis de elfo em camurça com a parte da frente levantada – o calçado do bobo da corte dos tempos modernos. Por outro lado, este homem vindo de uma pequena cidade de Ulster, na Irlanda, inspira-se no portão de uma quinta para desenhar uma bolsa nova, que se chama The Gate e fecha de lado com um pino.

O estilista também virou bolsas do avesso, fazendo-as em camurça reversível e acrescentando-lhes um grande “L”. Em todo o lado, Anderson usou o logotipo da marca com indispensável ironia, apresentando capacetes de bombeiro em pele de cobra, com grandes logotipos costurados na frente, ou usando-o nas mangas de macios sweaters de caxemira. Conseguiu que tudo fosse muito artístico e facilmente usável.

Era uma questão de “brincar com as noções de grande e pequeno, boêmio, mas calmo. Repetir a silhueta num movimento circular. A mulher Loewe saiu do seu espaço doméstico, pelo que eu quis uma mulher livre, numa silhueta esguia. As pequenas esculturas eu decidi fazê-las há três dias. Eu queria ruído intenso e momentos de silêncio, uma vez que adoro fazer este tipo de espaço”, disse Anderson no backstage.
 
Apoiado por uma trilha sonora dramática, do DJ francês Michel Gaubert, que combinava Trevor Jackson, Dinos Chapman e Mamatus, este foi um verdadeiro acontecimento de moda e mais uma enorme vitória para Anderson. Como dizem os franceses, Il se balade (o que significa que tudo o que ele experimenta funciona sem qualquer esforço).  
 
“Das novas lojas aos desfiles poderosos, passando pelo Loewe Craft Prize, para artesãos, a empresa está operando extremamente bem a todos os níveis. Com Jonathan, a Loewe é um poço de atividade entusiasmante, produzindo um crescimento na ordem dos dois dígitos. E ainda mal começamos no digital”, disse entusiasmado Pierre-Yves Roussel, membro do conselho de administração da LVMH que supervisiona a Loewe.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.